Homens da Pátria: O novo longa-metragem sobre a FEB

O responsável pela obra é o cineasta Gastão Coimbra (Minotauro Produções Cinematográficas), formado em Cinema e Publicidade pela Universidade Metodista Mackenzie. A equipe está em processo avançado de filmagem em Paranapiacaba e outros locais do Estado de São Paulo. O elenco conta com descendentes de alemães e dois austríacos. Foram 3 anos de pesquisa  e a produção conta com mais de 500 peças da segunda grande guerra.

O filme apresenta ao espectador, as principais histórias que permearam a passagem da FEB pela Itália, como a Tomada de Monte Castelo e ações com personagens como, Max Wolf, Ten Apollo Resk, os três herois mineiros, Frei Orlando, General Alemão Otto Fretter Pico e passagens colhidas dos relatos de 18 ex-combatentes entrevistados, previsto para 90 min de duração, esperamos que esteja nos cinemas até o final de 2013. Afirma, Gastão Coimbra.

Segue abaixo o link do primeiro trailer, algumas fotos dos bastidores e a entrevista do diretor no programa Encontro Kazual da Kaz Tv:

homens

 

 

Fan Page do filme no Facebook: Homens da Pátria – O Filme


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

18 comentários

  1. Três anos de pesquisa para mostrar um padioleiro armado de fuzil, cinto cartucheira na altura do peito e perneiras calçadas ao contrário?

  2. Osmar Junior /

    Quando soube da produção, fiz questão de ver todas as fotos, assistir ao trailer e a entrevista do diretor.
    Infelizmente nós brasileiros nunca soubemos dar a importância exata a nossa participação neste conflito. Considero de muito valor a vontade de alguém em querer reparar estas enormes injustiças com nossos pracinhas, mas o que veremos aqui, quando a película for lançada, com certeza, será mais um festival de coisas mal feitas, mal pesquisadas.
    Depois de muito estudar sobre a FEB, ler muita coisa, fico triste em ver a entrevista do diretor, Sr. Gastão Coimbra, que mais me pareceu uma pessoa curiosa do que um profissional da área, na sua entrevista ao amadorístico programa “Kazual” querer passar a idéia de ser o dono da verdade sobre o assunto em questão.
    Nas suas citações há muitos equívocos, como dizer que o filho do presidente Getúlio Vargas era nazista, para tirar esta dúvida bastaria o diretor ter entrevistado o Brigadeiro Rui Moreira Lima, ou assistido Senta à Pua, para saber que o referido médico serviu no lº Grupo de Aviação de Caça.
    Tenho certeza que não leu o livro “A Nossa Segunda Guerra Mundial” do jornalista Ricardo Bonalume Neto e nem tampouco nenhuma obra de um dos maiores estudiosos em FEB, o professor de história Cesar Campiani Maximiano. Só isso já teria conseguido abrir muitos horizontes sobre sua pesquisa.
    Uma pequena observação sobre as locações, as casas da vila dos ingleses em Paranapiacaba em nada se parecem com casas italianas na época.
    Sinceramente, torço para que o Sr. Gastão, apesar de muitos equívocos consiga contar um pouco da verdadeira história de nossos valorosos pracinhas, tão injustiçados e esquecidos.

  3. Gostaria muito de fazer parte deste filme como um soldado.

  4. Não empolga mesmo. E “A montanha” sai ou não sai???

  5. Dennison, ouvi falar que era dezembro de 2012. Acho que era só boato :S

  6. CARLOS MAGNO ALVAREZ MARTINEZ /

    Parabéns ao Sr. Gastão, pela iniciativa. O filme é um tributo aos nossos heróis. Porém, tenho que concordar com o Sr.Osmar Junior, quando faz seu comentário, que está completamente correto. Para se fazer um filme desse, deveria consultar especialistas na àrea, inclusive ter feito uma pesquisa sobre os uniformes, como exemplo: As famosas perneiras (polainas),que cobriam as canelas dos militares, eram usadas com os cadarços voltados para o lado externo das pernas, e não como estam usando no filme. Bem, mais a idéia é boa. Mais uma vez parabéns ao diretor e participantes do elenco. ” A COBRA VÁ SEMPRE FUMANDO !” “

  7. Renan A.B. /

    Não há empolgação alguma em assistir um filme gravado em um local que nada se parece com a Itália e com sangue e explosões 3Ds. Não que os efeitos 3Ds não são bem vindos, mas estão muito mal feitos.

  8. Kaique araujo /

    o Brasil ja nao é um pais por si patriotista. Mas espero que com este filme, mesmo que com tao pouca riqueza em pesquisa de parte do produtor, venha ao menos despertas em parte a curiosidade, ao menos dos jovens que irao assistir, mesmo que tao poucos, porque como a poco sitei o brasil nao é ligado ao passado e nem tao pouco a preucupaçao de parte dos nossos exelentisimos deputados, sendo que a maior preucupaçao deles para com nosso exercito é a apenas a tal comisao da verdade que mais é um meio de criar mentiras sobre nos, mas tamben nao posso criticar o produtor, pois ao menos de parte dele houve a iniciativa (apesar que si for pra fazer mal feito nao fasa), sendo uma grande responsabilidade retratar algu que aconteceu a tanto tempo e de tamanha importancia para o mundo e para o brasil

    BRASIL A CIMA DE TUDO, ABAIXO SOMENTE DE DEUS, Cavalaria a melhor arma do brasil

  9. “Belvedere era mais fácil”? E as 900 baixas que a 10a Divisão de Montanha sofreu para conquistar o monte, no dia 19 de fevereiro de 1945? A FEB não foi incumbida de tomar o Castello porque se tratasse de um objetivo mais ou menos difícil. Querer, 70 anos depois, dar a semelhança de discordância entre tropas de duas nações que operaram tão bem juntas é uma maneira fácil de criar polêmica onde não existe, apelar para sentimentos bobos e chamar a atenção para o filme…

  10. Feliciano Marcondes /

    Um tema como a FEB, nãopide ser tratado, pela primeira vez no cinema, ievianamente. Se não tinham dinheiro para filmar na Itália, conseguissem antes de sair fillmando. Quanto à Comissão da Verdade, citada aí pelo Kaíque, nada mais fora de contexto. Os pracinhas que lutaram na Itália pela liberdade e pela democracia, contra o inimigo nazifascista, nada têm a ver com os torturadores – cuja imensa maioria sequer fazia parte das Forças Armadas – que torturam e assassinaram brasileiros na pior fase da ditadura.

  11. Maiara Pires da Costa /

    Eu acabei de ”descobrir” a História da Batalha do monte Castelo e a atuação do General Cordeiro de Farias.Achei linda a iniciativa do Sr.Coimbra
    Parabéns!

  12. Evilásio Oliveira /

    Sinto-me bastante feliz,pela iniciativa do cineasta Gastão Coimbra,a FEB,tem que ser perpetuada e incutida na memória das gerações vindouras.

  13. eu apoio essa ideia, gosto da historia da segunda guerra, faço questão de acompanhar cada detalhe, e vou assistir. parabéns diretor por sua iniciativa.

  14. José Carlos Martinez Serrote /

    Espéro que corra tudo bem porque esses caras que estão vivos e mortos são meus heróis.
    Parabéns

  15. Antonio Henrique /

    Parabéns por sua iniciativa.

    A simples menção dos nomes de Apollo Miguel Resk , Max Wolf e outros já representa um resgate histórico.

    Sou oficial R/2, Pqdt, e sempre me surpeedi com o fato de pouquíssimos militares conhecerem estes nomes.

  16. Regina Cremm /

    Apesar de ser leiga devo concordar com algumas opiniões acima. Mas para que tanta crítica, se vcs aí em cima são tão conhecedores dos fatos reais, pq não deram sua contribuição ao Sr. Coimbra que teve a boa intenção e a ótima iniciativa… Quanto a perfeição dos fatos, é verdade poderia ser melhor acabado e ter uma pesquisa mais elaborada, falta de verba, incentivo… Mas pensem em quantas porcarias que vemos ultimamente no Cinema Brasileiro, se não é o enaltecimento de bandidos, traficantes, assassinos e políticos corruptos, é outra baboseira sexual picante e ridícula. Parem de criticar e vamos nos juntar para devolver o espírito de confiança nos brasileiros, tão sedentos de heróis. Parabéns pelo filme, quero assistir. Tenho dito.

  17. Jorge Fernando Pessanha De Carvalho /

    Sem comentários. Sucesso.

  18. antonio carlos /

    Boa tarde!!
    Sou sobrinho de um ex-combatente da FEB, irmão do meu pai, Marino Félix. vou colar um trecho para que voçês conheçam um pouco mais da história do Brasil na 2ª Grande Guerra.

    Após a conquista de Monte Castelo em dezembro de 1944, iniciou-se cuidadosa busca por toda a região, a procura dos corpos dos soldados desaparecidos nos combates anteriores. As equipes de salvamento das quais faziam parte capelães militares se depararam com quadros pungentes que causaram forte impacto: soldados com os corpos intactos, ainda de armas na mão, jaziam na posição em que foram surpreendidos pela morte e conservados pela neve que caiu posteriormente aos combates.Quem percorreu aquela área certamente jamais se esquecera do que viu.Região duramente disputada ao sopé de Monte Castelo ocorreu em ABETAIA .em torno dessa posição, em semicírculo, foram encontrados 17 corpos de soldados brasileiros em posição de combate, com armas e granadas nas mãos, liderados por um sargento Luiz Rodrigues Filho, do Regimento Sampaio.A princípio se supôs que todos fossem dessa unidade mas pesquisas de identificação comprovaram que alguns pertenciam a outras unidades brasileiras que também participaram do ataque a Monte Castelo. a descoberta aumentou a névoa do mistério que cercou esse episódio. O Coronel Nelson Rodrigues de Carvalho, em sua história do Regimento Sampaio, sugere que o grupo de combate desgarrados, atraídos pelo fogo de Abetaia, lá se encontraram com outros e lutaram até a morte.O fato é inquestionável marca da bravura indômita do pracinha brasileiro: morrer atacando o inimigo.O acontecimento entrou assim para a história:¨OS 17 DE ABETAIA¨

    PS. segue a lista dos 17(o nome do meu tio erroneamente foi escrito como Mariano, e não Marino Félix. Minha familia é oriunda de Itatinga, vieram para SP, capital, em meio à guerra. Hoje temos orgulho, dentre outras homenagens, de ter uma Praça no Bairro da Casa Verde, com o nome do meu Tio. todas as medalhas, bandeiras e outros objetos estão de posse da familia, e o Exército deu uma casa no Bairro da Vl. Sta. Maria,sp, que hoje é ocupada por um irmão dele, meu tio também.

    Os 17 heróis de Abetaia
    Luiz Rodrigues Filho(sargento) 1ºRI Engenho Novo RJ
    Ary de Azevedo 1ºRI Engenho Novo RJ
    Cristiano Clemente da Silva 1ºRI Tijucas SC
    Duravalino do Espírito Santo 1ºRI São Fidélis RJ
    José de Aráujo 1ºRI S.Ant de Padua RJ
    Alcides Maria Rosa 11ºRI Dores de Campos MG
    Aleixo Herculano Malva 11ºRI Itajai SC
    Almiro Bernado 11ºRI Botucatu SP
    Amaro Ribeiro Dias 11ºRI Campos RJ
    Amelio da Luz 11ºRI Cerro Azul PR
    Antonio Coelho da Silveira 11ºRI São João Del`Rei MG
    Lindo Sardagna 11ºRI Ibirama SC
    Hereny da Costa 11ºRI Belo Horizonte MG
    Iraci Luchina 11ºRI Araraguá SC
    Mariano Felix 11ºRI Itatinga SP
    Rafael Pereira 11ºRI Mirandápolis SP
    Sebastião Clemente Machado 11ºRI Rio Preto SP
    PESQUISA:
    A FEB POR UM SOLDADO de Joaquim Xavier da Silveira.
    Do Terço Velho ao Sampaio da FEB.do Ten. Cel.Nelson Rodrigues de Carvalho.

    Bem amigos, são fatos como este que deveriam ser retratados na nossa história, obrigado pela atenção.

Deixar um comentário

WordPress Themes