Estanislau Michaloski – A Vingança do Imigrante

O continente europeu passou por períodos turbulentos entre os séculos XIX e XX, culminado por guerras sangrentas, crises econômicas e fome. A população iludida é atraída por campanhas incentivando uma nova oportunidade de vida em paraísos tropicais ao atravessar o Oceano Atlântico.

Imigrantes de diversas origens como italianos, alemães, japoneses e poloneses trouxeram para o Brasil novas técnicas agrícolas, contribuindo no abastecimento do mercado interno e produzindo com maior eficácia em menos tempo.

O paradoxo da dupla nacionalidade nas Forças Armadas foi objeto de estudo nas duas obras do professor Dennison de Oliveira da Universidade Federal do Paraná: Os Soldados Brasileiros de Hitler e Os Soldados Alemães de Vargas (Editora Juruá, 2008). Oliveira aborda com delicadeza o assunto, citando casos extremos como os irmãos Gerd Brunckhorst (9º Batalhão de Engenharia da FEB) e Paul Heinrich Brunckhorst (convocado pela regime nazista e morto na Frente Oriental), que lutaram em lados opostos na guerra.

Esta contribuição refletiu também nas Forças Armadas Brasileiras, quando filhos de imigrantes contribuíram com o esforço de guerra no Exército, Marinha e Força Aérea. A Campanha da Força Expedicionária Brasileira teve como destaque condecorados herois como o Sgt Max Wolf Filho (11º RI), Tenente Ary Rauen (11º RI), Massaki Udihara (6º RI) e Raul Kodama (2ª Bateria do 1º Grupo do 2º Regimento de Obuses Auto-Rebocado).

Estanislau Michaloski – A Vingança do Imigrante

estannislauHoje conheceremos o expedicionário Estanislau Michaloski. A sua família imigrou para o Brasil com a eclosão da Primeira Guerra Mundial e contribuiu para a fundação da colônia polonesa de Bromado, em Palmeira (PR). Era filho de Ignacio Muchinsky (Muszynsky) e Francisca Szuf, que dividiam as atividades agrícolas de subsistência em sua pequena propriedade com outros 8 filhos.

Estanislau Michaloski foi Atirador do Tiro de Guerra 343 (Palmeira-PR) e convocado para a Força Expedicionária Brasileira e mobilizado para o 11º Regimento de Infantaria, sediado em São João del-Rei – MG ((Sd /5G-28639 / Centro de Recompletamento de Pessoal)

O 11º RI atuou com destaque na conquista de Montese, situada em uma localidade fortemente defendida pelos alemães, com densos campos de minas e fogo cerrado das metralhadoras inimigas em combate urbano. A Batalha de Montese é considerada por muitos como o palco da mais árdua e sangrenta conquista da Campanha da Força Expedicionária Brasileira.

    thyz Thyź Muszyńsky, neta do veterano, eternizou em sua pele uma homenagem ao avô

A memória de Michaloski será eternizada na obra “A Vingança do Imigrante“, por Thyź Muszyńsky. Muszyńsky é neta do veterano e autora das obras “Uma Polonesa no Brasil – Do Passado ao Futuro” e “Elas Também Jogam – A Vida de Uma Menina em Jogos On-Line” (Biografia e Autobiografia).


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

Free WordPress Themes