Casa da FEB promove Mostra do Cinema e Exposição da Grande Guerra Patriótica

“Cartazes soviéticos na Grande Guerra Patriótica”
 
Cartazes como propaganda e mobilização
 
Os cartazes da “Grande Guerra Patriótica”, assim denominada historicamente até os dias de hoje a luta dos povos da Rússia na II Guerra Mundial entre 1941-1945, eram uma forma de engajar e motivar civis e militares no confronto a invasão nazista. Explicavam visualmente e em termos bem simples e diretos, qual a atitude a tomar pelos militares e a população civil, incentivando-os a lutar contra o inimigo de todas as formas possíveis. Junto com os jornais e rádio, era um meio de propaganda eficaz, um jeito eficiente de incentivar pessoas a tomar ação política ou de trabalho no esforço de guerra.
 
Cartaz foi um dos gêneros mais importantes da arte soviética desde a guerra civil de 1917-1921, recebendo na II Guerra Mundial um novo impulso e envolvimento de autores que já haviam se notabilizado no período anterior.
 
Cartazes da época militar diferiam em termos da qualidade da execução e da forma. Alguns deles eram caricaturas grosseiras, enquanto outros pinturas mais elaborados em termos gráficos, com ilustrações e fotografias que se tornaram famosas, explicando o que estava acontecendo ou usando comentários rimados.
 
A Exposição na Casa da FEB
 
Reúne um acervo de réplicas de 68 cartazes, selecionados entre os mais destacados e representativos da produção do período, e instalados em painéis com legendas em português.
 
O acervo foi cedido pelo Consulado Geral da Federação da Rússia no Rio de Janeiro, e apresenta a mesma coleção exibida em diversos países.
 
A entrada é gratuita e os visitantes receberão um folheto de apresentação da exposição.
 
A Exposição estará aberta ao público as 3ª e 5ª feiras entre 13h30 e 17h00, e sábados entre 10h00 e 15h00, no período do dia 18 de junho a 2 de julho.
 
O ciclo de filmes soviéticos
 
Durante o período da Exposição, a Casa da FEB exibirá em seu auditório o Ciclo de Cinema Soviético, com seis filmes selecionados entre os mais significativos da filmografia sobre a Grande Guerra Patriótica (1941 a 1945).
 
Com roteiros baseados em eventos reais, os filmes serão exibidos em sessões com a participação de especialistas sobre a História da II Guerra Mundial, para apresentar ao público informações sobre a luta no front oriental, e o contexto das batalhas narradas pelos filmes.
CLIQUE AQUI PARA CONFERIR AS SINOPSES DOS FILMES
A entrada é gratuita, e os interessados deverão se inscrever pelo email anvfeb@uol.com.br, para receber um dos 60 ingressos por sessão, informando nome completo, número do documento de identidade com foto e profissão.
 
As sessões serão sempre as 15h30, nos dias 21, 22, 23 e 28, 29 e 30 de junho, com duração aproximada de 90 minutos.
 
Artistas soviéticos
 
Entre os mestres que trabalharam nesse período tinha aqueles que fizeram contribuição para o período dos cartazes da Guerra Civil, por exemplo, Dmitry Moor, Viktor Deni, Mikhail Cheremnyh.
 
Mas surgiram também artistas da nova geração: Irakli Toidze (o seu cartaz mais famoso foi “Mãe Pátria”); Alexei Kokorekin (o cartaz mais conhecido dele é “Pela Pátria”, 1942, com a figura de um marinheiro ferido atirando uma granada); Viktor Koretsky, que usava em seus cartazes técnicas de fotomontagem que remontam à década de 1920, foi autor do pôster “Soldado do Exército Vermelho, salva!” (1942), que é considerado uma das obras mais impressionantes do período; Kukryniksy (Kupriyanov, Krylov, Nikolai Sokolov), que produziram várias caricaturas.
Okna TASS (Janelas da TASS)
Uma parte de cartazes de propaganda soviéticos da grande guerra patriótica foi criada por um grupo de artistas, no âmbito do “Okna TASS” (Janelas da TASS), que se tornou a reencarnação do “Okna ROSTA” (Janelas da Agência de Notícias Russa). Tais imagens foram replicadas usando stencils e normalmente pendurados em suportes especiais em Moscou e outras cidades.
Era um tipo especial de cartaz de pequena circulação, que não era impresso, mas criado pela aplicação manual de tinta adesiva no papel através de um stencil. Por esta razão, em comparação com cartaz impresso, póster da TASS tinha mais liberdade de cor.
Kukriniksy
Kukriniksy era um grupo de três caricaturistas da União Soviética. Seu nome é uma combinação de três artistas: Mikhail Kupriyanov, Porfiry Krylov e Nikolai Sokolov. Ganharam fama a partir da ascensão do fascismo na Europa na década de 30, quando, desenhando para “Krokodil”, jornal satírico de Moscou, atacaram os líderes fascistas europeus. Criaram okna TASS (Janelas da TASS).
Viktor Deni
Viktor Deni (Denisov) – artista gráfico e cartunista soviético. Nascido em 1893 em Moscou, participou de exposições da Associação dos independentes e Salão de humoristas. Na década de 1910 trabalhou em várias revistas de humor. Em 1932, ele recebeu o título de artista homenageado da RSFSR.
Dmitry Moor (Orlov)
Artista russo, um dos fundadores do cartaz político soviético. Nasceu em 1883. Não recebeu formação artística didática. Em 1907, ele começou a publicar suas caricaturas na imprensa (principalmente na revista satírica liberal “Despertador”). A técnica favorita dele era desenho preto e branco, várias vezes reforçado com outros tons de cor (geralmente vermelha).
ANVFEB – Associação Nacional do Veteranos da Força Expedicionária Brasileira (Casa da FEB)
Rua das Marrecas, 35 Centro – Rio de Janeiro RJ 20.031-040 – Tel.: 21 2532-1933 / 2262 3609 # anvfeb@uol.com
Assessoria de Comunicação: Israel Blajberg / iblaj@hotmail.com / 21 99483 8045

COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

WordPress主题