Cartas do Front – Martinho Pereira Martins

Um pouco do que consegui a respeito da memória de meu finado pai, que seja de grande ajuda e enriquecimento, todo o conteúdo que envio no anexo, cartas, mapas e fotos, espero que assim eu tenha colaborado um pouco para avivar a memória desses veteranos que tanto nos honraram com seus feitos de bravura.
Meu pai chamava-se Martinho Pereira Martins, serviu no Regimento Sampaio (Rio de Janeiro). Após o término da guerra meu pai voltou para o Brasil e fez a opção de aceitar um emprego público e somente depois de aposentado conseguiu o benefício de ser pensionista do Exército, faleceu em março de 1999.

Fiquei emocionada lendo as cartas que meu pai trocava com parentes e amigos, algumas me levaram às lágrimas. Na verdade nunca havia lido todas as cartas e assim pude conhecer melhor a alma de meu pai, ele era um homem que pouco falava dos horrores da guerra mas fez um relato muito triste que nunca esqueci.

”Após receberem o comunicado de que a guerra havia acabado, meu pai e alguns amigos comemoravam e não sei bem o detalhe e o porque deles estarem num jipe, mas o fato que um de seus amigos saiu correndo pelo campo e houve uma explosão, o campo estava minado e o restante puderam ver com horror pedaços deste amigo espalhado, lembro que meu pai dizia que pedaço do couro cabeludo caiu no jipe… Lastimável presenciar tal fato.”

Meu pai recebeu uma medalha por ato de bravura após sair da trincheira para ir emendar um fio que havia se partido com o bombardeio que estavam sofrendo e com isso deixando a tropa sem comunicação. Contava isso com orgulho.

“Eu fico imensamente feliz com o carinho com que conduzem o portal, realmente ver a foto de meu pai será para mim motivo de orgulho, sempre quis homenagea-lo e vocês estão me dando essa oportunidade.”

Notas do Portal:

As cartas foram transcritas, mas seguiram o mais próximo possível das regras gramaticais atuais. Caso tenha alguma dúvida, confira as fotos no final deste artigo para ter acesso aos conteúdo na íntegra.

Em 16 de Setembro de 1944 às 03:30h, deixei a minha casa, seguindo para o Quartel General.
Dia 21 às 09h00minh deixei a vila militar, seguindo para o cais do porto. Às 12:15h, deixei o solo brasileiro, embarcando no Navio Nº 112 da Marinha Mercante Norte-Americana, onde permanecemos até as 12:15h do dia 22.
Às 12:40h do dia 22, ao transpor a Baia da Guanabara e entrar no teatro de operações, o Padre João Francisco pediu a bênção ao navio, dizendo as seguintes palavras: “Soldado do Brasil! Voltai vossos olhos para o Cristo Redentor e lembrai-vos que ele nos espera de braços abertos. Estamos deixando nossa terra querida, seguindo para os Campos de Batalha Europeus”.

Europa, aos 29 de outubro de 1944

Querida mãe,
beijos e abraços.

Espero que ao receber esta, esteja gozando a mais perfeita saúde, enquanto eu vou bem, graças a Deus.
Mamãe, quando se lembrar de mim, não tenha tristeza, porque eu estou muito satisfeito, parece que estou fazendo um passeio, mas espero muito em breve, se Deus quiser, recebermos a paz. Então receberei meu belo regresso e estaremos novamente juntinhos em nosso lar cheio de paz e felicidade.
Terminando esta, peço uma bênção da mamãezinha que muito estimo, a seu filho Martinho. Mando uma bênção para o afilhado e lembranças para todos.

Martinho Pereira Martins

Itália, em 14 de novembro de 1944

Saudações,
muito estimada mamãezinha.

Com muito prazer que pego na pena para escrever esta cartinha, pois recebe a sua primeira carta, que veio encher meu coração de alegria ao saber que os meus vão bem. Graças a Deus vou bem.
Como já tinha escrito, temos muito conforto. Se não fosse a “quinta” era uma maravilha.
Mamãe, recebi a sua carta no dia 10. Nesse dia tínhamos que cumprir uma missão na qual tivemos quatro dias onde “a cobra fumou”. Mas quanto mais a cobra fumava, mais eu tenho coragem, porque sei que o regresso será mais breve.

Sem mais, termino.

Estou enviando um beijo para minha querida mamãezinha, lembranças para Manoel, Nadir Grinaldi e Filhinha, uma bênção para os afilhados, inclusive o de Nadir, que muito em breve será Comadre Nadir, se Deus quiser.
Mais lembranças deste que muito lhe quer bem.

Martinho Pereira Martins

Itália, 17 de Março de 1945

Saudações,
minha boa e amorosa mãe.

Será para mim, a maior alegria de minha vida, quando chegar esta em vossas mãos.
Que esteja nosso lar cheio de paz e saúde, os quais são os ardentes votos deste que espera em Deus, o dia feliz de voltar para junto de todos.
Nadir, eu aqui vou indo regularmente, graças às providências divina, pois como já estão cientes, eu aqui estou lutando. Séries de sacrifícios. Primeiro, o meu dever que tenho que cumprir, mesmo com o sacrifício da própria vida. Segundo a louca saudades…

Itália, 5 de maio de 1945

Saudações,
querida irmã.

Em primeiro lugar, desejo saúde e felicidade para todos.
Quanto a mim, não precisa se preocupar, pois vou bem, graças ao nosso Pai eterno.
Filhinha, mandei mil e duzentos cruzeiros para mamãe, peço quando receber, telegrafar.
Estou muito alegre, pois estamos realizando os últimos dia da guerra.
Em Breve estaremos aí, cheios de glória, se Deus quiser.

Aqui termino, enviando lembranças para todos os queridos.
Lembranças para o compadre João. Peço uma bênção a minha mãe. Uma bênção para os afilhados e sobrinhos.

Abraços e mil beijos para Fiotinha, do noivo, Martinho Pereira Martins.

Ps.: Mamãe, posso pagar o serviço dos dentes da Fiota.

Itália, 8 de Maio de 1945

Saudações,
muito estimada Mãezinha.

Com muito prazer que te faço está cartinha, a fim de dar as minhas notícias e saber das suas.
Eu, como sempre tenho escrito, estou com muita saúde, graças a Deus.
Peço e rogo a Deus, para que vos protejam com muita saúde e felicidade.
Mamãe, fique alegre, porque a guerra acabou e espero muito em breve estar aí para matarmos esta saudade.
Depois da guerra tenho aproveitado muito. Tenho visto coisas importantes. Quando chegar aí, tenho muito que contar.

Sem mais, peço uma bênção de minha mãe. Uma bênção para os afilhados. Lembranças para todos os meu queridos.

Martinho Pereira Martins

Abaixo segue a galeria de fotos das cartas originais

Colaboradora: Célia Martins Dias


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

29 comentários

  1. Que emoção, como lembro de meu pai contando os fatos que lá aconteciam. Muito impressionada eu fiquei, em observar como a letra de Sr. Martinho era muito parecida com a de meu pai, as formas de escrever os numeros, principalmente o cabeçalho do dia da partida 16/09/1944 e o cabeçalho do dia 17/03/1945 eh muito parecida. Deus esteja com estes Herois!!!

    Sandra R. S. Costa

  2. Célia Martins /

    Olá!
    Como não me emocionar com tamanho carinho?
    Eu estou comovida, como agradecer tão linda homenagem a meu pai?
    O PORTAl está de parabéns em todos os sentidos, assim como o soldado Martinho muitos são os que estão tendo sua memória avivadas graças ao desempenho de pessoas como dos organizadores do site.
    Fica aqui registrado meu agradecimento, minha emoção e meu orgulho de ter tido como pai um soldado brasileiro!
    Saudações!!

    Célia Martins

  3. isalete leal /

    Sim, é muita emoção quando vejo mais filhos de ex-combatentes postando no portal. Temos que agradecer ao Eder pela iniciativa de fazer um portal sério,completo e de grande valor histórico.

  4. Renato Luckow Junior /

    Nossa é de emocionar mesmo…
    Admiro a coragem e a força de não padecer mentalmente desses brasileiros que enfrentaram o pior e mais esperto inimigo que qualquer exercito ja teve,pois os exercitos do eixo eram bem treinados e com armas de longo alcance além de serem muito destemidos.
    mais mesmo assim…
    PRO BRASILEIRO O ALEMÃO É SOPA !

  5. Queria deixar aqui, que eu fiquei muito emocionado com essa homenagem. Pois eu sou o Neto do Soldado Martinho Pereira Martins. Infelizmente eu não tive oportunidade de conviver com esse heroi brasileiro, mas me orgulho muito em saber que ELE participou desse momento histórico.
    Queria agradecer muito ao portal por essa postagem.

  6. FIQUEI MUITO EMOCIONADA PORQUE SOU NETA DO SOLDADO:MARTINHO PEREIRA MATINS NÃO TIVE A OPOTUNIDADE DE CONHECER ELE mas fico muito feliz EM SABER QUE O MEU AVÓ PRATICIPOU DA SEGUNDA GERRA MUNDIAL E SOBREVIVEU E ELE SIM FOI UM GRANDE HEROI!!!

  7. Francisco /

    Parabens aos nobres defensores da Patria, esses são os verdadeiros Herois! É preciso mostrar nas escolas o valor de
    nossos veteranos combatentes que defenderam a democracia contra o mais terrível genocídio facista que tentaram implantar no mundo! Muito nos orgulha os expedicionários da
    FEB!

  8. hugo roberto /

    Saudações!

    Fico feliz com essa homenagem aos nossos herois, que lutaram bravamente contra as forças opressoras, são pessoas como Sr: Martinho, que nos deixam orgulhosos da nossa historia.

  9. Excelente essa postagem, a grande riqueza de detalhes resume tudo.

  10. Ana Nalesso Bonifácio /

    Achei muito interessante e valioso estes documentos,são verdadeiras relíquias.Tenho tambem fotos, cartas e muitas outras coisas do meu Pai. Breve mandarei pra voces:>Parabéns.

  11. Ranielle Macedo /

    Como amante da II Guerra e da FEB fico muito emocionado com essas cartas do soldado Martinho. Queria parabenizar sua família por compartilhar esse tesouro com nós brasileiros. Orgulhem-se muito de seu pai, pois ele foi um grande herói. Parabéns aos organizadores do site. O trabalho é magnífico. Vocês não são deste mundo.

  12. Leandro (Bizo) Martins /

    Muito legal, bárbaro!!
    Realmente eu fico muito feliz em saber que o meu avô está recebendo esta homenagem pelo ato heróico que marcou a vida da nossa família. Saiu do Brasil rumo à Itália e lá cumpriu o seu dever de soldado, conquistando os fortes de Montecastelo e Castelnuovo. Era uma honra pra mim, nos meus tempos de ensino fundamental, ler sobre a segunda guerra mundial e seus conflitos entre os interesses dos E.U.A contra as “forças do eixo” (Alemanha, Itália, Japão, U.R.S.S) e saber que o meu avô estava lá “largando o prego” literalmente. Graças a Deus ele retornou ileso, caso contrário eu não estaria aqui escrevendo estas palavras pois não teria nascido.
    Mas é isso. Parabéns ao PORTAL por essa homenagem. Meu avô era muito forte e inteligente, tenho ótimas lembraças dele.
    Abração!!

  13. trabalho muito dificil e complicado quando se parte um fio naum tem comunicacao e impede a artilharia de operar deixando a tropa perdida sem noticias,gracas a deus ele conseguiu consertar o telefone e voltar sao e salvo mais um heroi do brasil meu avo era da f.e.b protecao costeira em recife transferido para o rio se aposentou na base naval da praca maua no rio de janeiro ja falecido possuia curso de combate
    que deus os tenha em bom lugar com muito respeito e obrigado ate mais

  14. SALVE! O POVO BRASILEIRO! ORGULHEM-SE BRASILEIROS PELA SUA GENTE! BRAVOS SOLDADOS…

  15. José Luiz /

    Quero prestar uma homenagem ao ex-pracinha, mas sempre o Herói Sd Celso dos Santos do 6° R.I de Cruz Alta-RS, que tombou em batalha, ele éra muito amigo da familia de meu pai. Ele era tão patriota que conforme informações de meus tios,sempre dizia “Eu ei de morrer lutando pela minha Pátria”.Não deixou filhos, hoje existe apenas sobrinhos.Existe uma rua em sua homenagem.Para os meus tios, só ficou a lembrança de quando foi se despedir antes de partir para a guerra.Deus esteja com ele.

  16. Cláudio Lopes /

    Conheci, pessoalmente, um dos pracinhas da 2º Guerra, o Sr. Joaquim. Ele mora próximo a Presidente Prudente/SP, minha terra natal. Contou-me histórias interessantíssimas das missões da FEB em que participara. Talvez a maior honra que ostento hoje seja o fato de ter servido e aderido à minha pele a Farda do Exército Brasileiro, no Tiro de Guerra 02/063, em 1988. Sabia que aquela Farda tinha História e me esforcei ao máximo para honrá-la! Hoje em dia, aos 4.2, meu Honra ao Mérito está emoldurado e muito me honra poder dizer aos meus filhos que servi ao EB. Precisamos reavivar, a cada dia, a memória dos veteranos da FEB! Parabéns ao Site FEB.

  17. Enderais Logges /

    Muito legal! Gostei! Entretanto, não parece ser uma medalha por heroísmo (restauração da comunicação militar – fio partido) hajam vistas para o “Diploma de Medalha de Campanha”, constante da 2ª foto. Com efeito, aquele documento somente atesta que o soldado fulano de tal paritipou em operações de guerra na Itália, sem nota desabonadora. No mais, o site é louvável.

  18. Analice Sauerbronn Reina /

    Simplesmente emocionante! É maravilhoso ler os relatos dos nossos heróis. Ver como aqueles preciosos homens pensavam na época. Lindo e muitíssimo valioso! Parabéns pela iniciativa de digitalizar o conteúdo e disponibilizá-lo. É maravilhoso poder ter acesso a essas informações. Parabéns e obrigada por divir conosco essas lembranças!

  19. SD OLIVEIRA 12 BI 2004 /

    É com muita alegria e prazer que deixo essas poucas e simples palavras aos pracinhas Brasileiros que combateram em solo estrangeiro as tropas inimigas para que a nossa soberania prevalecesse.A vocês meu muito obrigado pela bravura com que defenderam nossa Naçao.Infelizmente nem todos voltaram com vida,mas tenho certeza de que valeu o esforço e o sacrifício de cada um,uma vez que a bravura tomou conta desses bravos soldados e como se diz “SE DERMOS POR ELA A VIDA,REBRILHA A GLÓRIA FULGE A VITÓRIA,E ASSIM AO BRASIL FAREMOS OFERTA IGUAL DE AMOR FILIAL,E A TI PÁTRIA SALVAREMOS…” Muito obrigado aos pracinhas,quero dizer que é com muita honra que servi ao Exército Brasileiro em 2004 no 12 Batalhao de Infantaria BHMG,batalhao esse que inclusive cedeu varios bravos soldados para FEB,quero dizer que assim como no passado esses bravos soldados se dispuseram a lutar contra a tirania,que eu também estarei pronto se algum dia a Pátria precisar de mim.

  20. SD OLIVEIRA 12 BI 2004 /

    “LEMBRAI_VOS DA GUERRA” MUITO VIBRANTE ESSA NARRATIVA. BRASIL ACIMA DE TUDO,ABAIXO SOMENTE DE DEUS!!!

    Exército Brasileiro – Lembrai-vos da guerra

    Imensa formação de brancas cruzes,

    Desfile mortuário de fantasmas,

    Exótico mercado de miasmas,

    Exposição de ossadas e de urzes…

    Calado e mudo queda-se o canhão,

    Apenas trevas cobrem a amplidão,

    Que outrora foi um campo batalha…

    Calada e muda queda-se a metralha,

    É morta na garganta a voz do obus,

    O sabre traiçoeiro não reluz

    Dilacerando, ensangüentado a terra…

    A paz voltou, é terminada a guerra.

    Os heróis tombaram das alturas,

    Os covardes e os bravos olvidados,

    Seus feitos aos livros relegados,

    Nada mais resta, apenas sepulturas.

    E eu? Quem sou? Perguntam eu quem sou?

    Pois bem, eu lhes direi: sou um soldado,

    Igual a qualquer outro

    que avançou, combateu, foi derrubado.

    Cruzes iguais… Terrivelmente iguais…

    Exército que cresce mais e mais,

    No festim diabólico da morte.

    Aqui jaz o covarde. Ali o forte.

    Aqui dorme um estranho. Ali estou eu…

    Mas ninguém sabe como ele morreu…

    Não se lembram do campo de batalha,

    Nunca ouviram o riso da metralha…

    Não sentiram tremer o corpo inteiro

    Ante o rugido brutal de um morteiro…

    Não viram a cor dos olhos do inimigo.

    Não sentiram o medo do perigo,

    Que vos faz desejar a morte breve.

    Nunca sonharam. Nunca, nem de leve.

    Mas…

    Nem todos se esqueceram do soldado

    Que está longe, bem longe sepultado…

    Mamãe, minha boa mãe, se tu soubesses

    Que tua imagem adornei com flores,

    Que tuas flores foram minhas preces,

    Preces colhidas no jardim das dores…

    Minha querida mãe, se te contasse

    O medo que senti sem teu carinho,

    Um medo horrível de morrer sozinho.

    Medo mesmo que o medo me matasse…

    Mas deixei meu abrigo e avancei

    Julgando ver a morte a cada passo

    Ao ouvir o sibilar de um estilhaço…

    Parei… Pensei em ti… Continuei…

    Minha querida mãe se te dissesse

    Que quando derrubou-me uma granada

    Atirando-me na terra enlameada,

    Foi por ti que chamei desesperado.

    Por um momento deixei de ser soldado

    E fui novamente uma criança

    Sentindo na morte a esperança

    De ainda adormecer no teu regaço.

    Mamãe. Matou-me um estilhaço…

    Minha querida noiva, por que choras?

    Relembras por certo as boas horas

    Que passamos juntos. Só nós dois…

    Íamos casar. Lembra-te ? E depois…

    E depois uma casa retirada.

    Cortinas nas janelas enfeitadas,

    Tu me esperando… eu vindo do quartel…

    A nossa casa um pequenino céu,

    Aberto a vinda de um herdeiro…

    Meu sonho, meu sonho derradeiro,

    Foi de beijar-te antes de morrer.

    Mas ao golpe frio da granada,

    Beijei apenas a terra ensangüentada.

    Mamãe, minha noiva, aqui se encerra

    Uma história de sangue, esta é a guerra.

    Não chorem. Tudo é terminado

    Rápido como coisa de soldado…

    Mas mamãe…

    Se novamente a pobre humanidade

    Mais uma vez em busca da verdade

    Rufar seus tambores sobre a Terra

    Anunciando mais sangue e outra guerra,

    Se outro filho a Pátria te exigir,

    Sem lágrimas mamãe, deixe-o ir…

    Embora te destrua o coração,

    Ainda que te alquebre a agonia

    Faça-me um favor mamãe,

    Peça a esse irmão,

    Para que seja também da INFANTARIA !

  21. alessandra de fatima frança /

    sou estudante de Historia, fico feliz em saber que os filhos desses herois tem muito orgulho e se preocupam em preservar a memoria desses homens ,estou fazendo meu TCC, sobre a participação da FEB na segunda guerra, e gostaria do depoimento de algum veterano ou parente, esse material é excelente gostaria entrar em contato com você, pois como todo historiador onde a missão é preservar a história e esse material mostra a história não apenas de um soldado ,mas de um ser humano lutando para defender seu país entre em contato:alessandra.franca24@yahoo.com.br

  22. Rodrigo da Silva Camargo /

    Muito legal o material deste heroi da FEB,fiquei emocionado lendo os fatos relatados na carta bem como a sua coragem de lutar em uma guerra com tamanha dificuldades. fico pensando oque se passava na cabeça deste bravo pracinha ao ter que dar noticias a sua familia no brasil.

  23. Jansen Nunes /

    Estou me formando em História e preciso entrar em contato com parentes de veteranos da FEB que serviram em Aquidauana-MS, sede do 9º BE. Meu trabalho será de contar as histórias pessoais baseadas em fotos, jornais, cartas ou qualquer outro documento, principamente dos falecidos e acidentados em combate. Grato!

  24. joão batista rodrigues freitas bittencourt /

    espero que nunca esqueçam o que essa geração fez,longe de casa, sem equipamentos,privados de conforto e de suas familias,sou grato e sempre que posso tento passar para ourtos esse grande serviço que fizeram para o Brasil, parabéns e respeito a todos.

  25. Eduardo dos Santos /

    Na minha cidade, Catalão – GO, teve vários combatentes, alguns eu lembro o nome, mas como tem bastante tempo que moro em outro Estado, na minha próxima visita vou pesquisar e colher mais dados para comentar na página da FEB, acredito que os familiares não sabem deste portal.

  26. adorei todas as historias do sr. martinho
    abraços toledo pr.

  27. José Wilson Pinheiro Sales /

    Meu pai também participou da FEB. Era o 1º Sargento Wilson Alves Salles, da Bateria de Comando da Artilharia Divisionária. Fez curso de minas na Itália. Arriscou sua vida inúmeras vezes, sendo ferido em combate. Recebeu várias condecorações. Foi para reserva em 1962 como Major. Quando morreu, tentamos atender o seu grande desejo que era o de receber as honras militares fúnebres previstas na legislação militar. A resposta ao nosso pedido foi de que, COMO OFICIAL REFORMADO NÃO TINHA DIREITO A NADA. Enquanto isto, muitos que nada fizeram pelo País, até traidores foram, receberam toda sorte de homenagens em seus passamentos. QUE BRASIL É ESTE QUE NÃO SABE CULTUAR SEUS VERDADEIROS HERÓIS, MAS SABE ENDEUSAR QUEM NADA FEZ.
    José Wilson Pinheiro Sales – Advogado OAB-CE 9090,
    Fortaleza – CE

  28. Renato Tavares /

    Pessoal, estou fazendo um trabalho sobre o soldado Martinho Pereira Martins, gostaria de saber se alguem tem o contato de sua filho ou de seu neto, para ter acesso a mais detalhes da vida desse ex-combatente.

  29. Lucas Pereira /

    É louvável a iniciativa desse site de manter viva a memória desses heróis brasileiros que merecem destaque!
    Aproveito para pedir, por gentileza, se podem me auxiliar com a minha pesquisa para conclusão de curso. Estou cursando história, pela UNIRIO, e meu trabalho de conclusão de curso buscará analisar os soldados da FEB, mas especificamente por cartas. Peço que, se alguém tiver documentos e informações que possam ajudar, entre em contato pelo e-mail: lucasaspereira@outlook.com. Quero poder contribuir para recordar a memória desses heróis de guerra que defenderam e representaram com tamanha honra nosso país
    Desde já, agradeço imensamente!!

Deixar um comentário

WordPress Themes