Veteranos na comemoração dos 70 anos do embarque da FEB

Veteranos participam da comemoração dos 70 anos do embarque da FEB para a 2ª. Guerra Mundial na 1ª. Região Militar

Em 1944 eles eram 3 jovens sonhadores nos seus 20 anos, Tenente R/2 de Infantaria Israel Rosenthal e Soldados Dalvaro Jose de Oliveira e Nelson Botelho

Representando os 25 mil homens que o Brasil mandou para combater o nazi-fascismo na Italia, os 3 veteranos com mais de 90 anos compareceram para cumprir seu dever de memória, no Palácio Duque de Caxias, antigo Ministério do Exército, na Av. Presidente Vargas – RIO, no dia 2 de julho de 2014.

Foram entao comemorados exatos 70 anos do embarque da Força Expedicionária Brasileira (FEB) rumo ao Teatro de Operações da Itália, na Segunda Guerra Mundial, onde combateram junto com mais 18 paises Aliados, incorporados ao 5º. Exército dos EUA, sob o comando dos Generais Mark Clark e Mascarenhas de Moraes.

Ao final, diversos participantes fizeram questão de apertar a mão dos Veteranos, como os Generais da Ativa e da Reserva presentes, dos quais registramos entre outros o Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), General de Exército Ueliton José Montezano Vaz, General Luiz Eduardo RAMOS Baptista Pereira, Comandante da Guarnição da Vila Militar, Gen Jose Carlos, Vice Diretor do DECEX, Gen Braga Netto, da Assessoria de Grandes Eventos, General de Divisão Carlos Alberto Neiva Barcellos, Comandante da 1ª Região Militar, General Marcio Roland Heise, Diretor do Patrimonio Historico e Cultural do Exercito, Gen Marcio Bergo, Diretor do Centro de Estudos e Pesquisas de Historia Militar do Exercito, e o Presidente da ANVFEB General de Divisao Marcio Rosendo de Melo.

.

Créditos: Israel Blajberg (Casa da FEB)



COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

1 comentário

  1. Flávio Aronson Pimentel /

    Estes Soldados Brasileiros, Homens de valor, demonstram o amor a pátria e a presença inadiável num inferno que foi o campo de batalha na 2ª Grande Guerra Mundial, em toda a Itália, para nós , em especial em Monte Castello, onde exigia-se coragem e plena capacidade dos valentes guerreiros, numa geografia desfavorecida, soldados expostos a variáveis ninhos de metralhadora sob o domínio inimigo, mesmos assim a FEB horrorizada com o avanço do nazismo e do regime fascista pouco a pouco erradicava o eixo lavando as mãos sob seus próprio valores, trazidos além mar , em seu berço esplendido . Infelizmente o mal mostrava o que dele possuía de pior arrasando seres humanos sub-julgados pelo infame pensamento maquiado que dele pode extrair-se de pior, notadamente o preconceito não só da liberdade, mas também das idéias e da raça. Há de existir um dia, que não deveremos olhar mais ao passado, quando não mais tivermos a miséria humana colocada ante olhar de todos nós, cujo o mal muitas vezes continua não mais entre malucas ideologias mortíferas entre países , mas dentro da carnificina hoje vista dentro da própria nação que arrasa vidas inocentes pelas chagas da corrupção e ao malfadado anticristo . Aqueles bravos guerreiros que deram à vida e lutaram para combater este mal Hitlerista ou mesmo o autoritarismo fascista que assolavam a Europa entre a década de 14 até 45 não mais que fizeram defender a sua própria casa prevenindo que o pior batesse na sua porta , expondo a sua própria família. Hoje Lutam sobre nossas cabeças a guiar-nos a verdade humana , que não cessou com as guerras, pois enquanto existir pobreza, corrupção e desigualdade social , atrasando o nosso país, com certeza não haverá sossego pois o trauma criado em desviar os recursos públicos em prol de interesses mesquinhos e egoísticos certamente será condenado e não distanciam-se daquelas hipócritas ideologias erradicadas no passado. Que Deus de vida longa aos Bons e Justos e o descanso em Paz aos bravos e dignos guerreiros que doaram as suas vidas sem mitigar a responsabilidade de escrever a verdade na história. Este é o Brasil, país que acredito, e, que não foge a Luta, pois são dotados de Homens valentes e habilitados a cumprir com a missão que lhes cabe, quando posto a prova. As perdas são necessárias , mas cravam na memória da História dos bravos Homens que defenderam dando exemplo da Honra pela perda da própria vida para que sobrevivesse o ideal da Paz e Justiça. É isto que não devemos perder em nós o quanto valeu cada perda de um soldado Brasileiro fator motivador da grandeza como deve ser as novas gerações. Homens que não medem esforços, bravos guerreiros e valentes que transformaram o curso de uma história, e estão presentes, mesmo vindo do passado, da memória, quando chamados para consolidar a vitória do respeito , da paz e dignidade entre todas as nações em prol da Humanidade.

Deixar um comentário

WordPress Themes