Tese de Mestrado – Virgínia M. Guimarães Carvalho

Nascida na cidade de São João Del-Rei, em Minas Gerais, Virgínia Guimarães Carvalho graduou-se no ano de 2005 pela Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ). Trabalhando com a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, teve sua monografia de fim de curso premiada com o segundo lugar no concurso nacional de monografias promovido pela BIBLIEX editora. Apaixonada pelo tema, a historiadora prosseguiu suas pesquisas nas cidades de Olinda e Recife, onde ingressou no mestrado de História na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). No ano de 2009, defendeu sua dissertação sobre a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, tornando-se mestre em História. Em Março de 2010 começou a ministrar aulas de Atualidades / Geografia para o site PONTO DOS CONCURSOS. Com uma grande demanda pelo seu trabalho Virginia lançará em 2010 um livro sobre a Participação do Brasil na Segunda Guerra. Enfim, uma jovem professora, mas com um currículo já bem antigo!

Site pessoal da Prof. Virgínia Guimarães: www.vihoje.net

Em 2009 a Prof. Virgínia Guimarães apresentou sua dissertação ao Programa de Pós-graduação em História da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), como requisito parcial à obtenção do título de Mestre em História, tendo como orientador Dr. Antônio Torres Montenegro.

A dissertação de Virgínia leva o nome de: EX-COMBATENTES DO BRASIL – ENTRE A HISTÓRIA E A MEMÓRIA (1945-2009), contém 120 páginas e está disponível para download completo logo abaixo do resumo.

Resumo

A participação das Forças Armadas do Brasil na Segunda Guerra Mundial é compreendida por diferentes linhas de interpretação na produção acadêmica brasileira. A mais disseminada dentre elas analisa apenas as experiências da Força Expedicionária Brasileira, em detrimento da análise de outros grupos com memórias de guerra distintas. Nesse trabalho procuramos perceber, por meio da diversidade de fontes existentes – jornais, livros, fotos, documentários e relatos orais – como são formadas as seleções e cristalizações da memória.

A multiplicidade de memórias e “lugares de memória” existentes sobre a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial nos indicam uma forte preocupação em manter viva a figura dos ex-combatentes. No entanto, ao contrário do que ronda o senso comum, as memórias deste evento histórico não são homogêneas e se agitam continuamente em meio às constantes resignificações do passado – movimento próprio à História. Nos deparamos, deste modo, com uma forte distinção na forma como se estruturou a memória dos ex-combatentes “praieiros”, dos veteranos da FEB, dos militares da ativa, da instituição militar e dos civis, o que torna inviável o entendimento da existência de uma memória nacional unificada sobre a participação do Brasil na Guerra e nos permite enxergar as disputas sutis pelos espaços de memória e lugares de reafirmação da identidade.

Palavras-chave: Força Expedicionária Brasileira, Vigilância do litoral, Diversidade de Memórias, Disputas de poder.

Colaboradora: Virgínia M. Guimarães Carvalho


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

10 comentários

  1. mas que moça “Simpática”, não? :P

  2. Quando eu crescer quero ter o curriculo que a Virgínia tem…
    Tão nova e tao competente…
    Parabens Virginia

  3. Ricardo Bieri /

    Parabéns a Mestranda Virginia Guimarães Carvalho! Se eu puder ajudar em algum trabalho futuro dela; me coloco a total disposição; possuo bastante material sobre a II Guerra Mundial. Abraço a todos!

  4. Olá Virginia, parabéns pelo seu trabalho, além de muito linda vc é muito inteligente, quando eu tinha 7/8 anos em 1972/73, meu pai era caseiro do Sr.Clóvis Carneiro de Mendonça, ex combatente da FEB, ele contava situações que passou na guerra, ele esteve na tomada de Monte Castelo na Itália,mostrou também na perna marca de tiro, eu ficava viajando na historia, nunca mais o vi, tenho muita saudade dele, a família dele é de Campinas-SP, na época ele era leiloeiro do Estado, inclusive o rancho dele tinha o nome de Rancho Expedicionário, e tinha um desenho de uma cobra fumando, tenho uma foto dele eu e meu cachorro ao seu lado.`São ótimas lembranças. Parabéns Virginia, continue assim.

  5. isalete leal /

    Parabéns pelo trabalho que tem feito pelos veteranos.Sou filha de ex-combatente da SGM e sei o valor de sua obra.

  6. Thiago Arcanjo /

    Bá, muito bom mesmo

    Site bem organizado, muito bacana

    XD

  7. Silvio Barros /

    Gosto de tudo quando se fala a respeito da SGM, fico triste ao saber que para obter algum benefício perante a SIP tem que provar que esteve la´.

  8. Maria do Socorro Sampaio M. de Barros /

    Virginia nos traz em seu trabalho a responsabilidade por sua descendência, seu avô, herói/veterano e principalmente músico, praticou a paz em campos de batalha. Cabe agora à neta reger essa obra!

  9. Ranielle Macedo /

    Parabéns colega! Vou ler seu trabalho

  10. Liezete Suela /

    Acabei de tomar conhecimento de seu trabalho sobre os ex-combatentes!Vou ler.Sou filha de um ex-combatente, dos que nao foram para a Italia, mas ficou no RN-Natal,no Regimento de Artilharia ante aérea, por 3 anos e conheço bem a historia desses homens, na época, jovens que viveram essa experiencia. estou procurando mais informações pois pretendo contar a história de meu pai. talvez num livro.

Deixar um comentário

Free WordPress Theme