Os Torpedeamentos e a Declaração de Guerra – Agosto de 1942

Em 15 de agosto de 2019 completam-se 77 anos do cruel ataque da Alemanha Nazista contra o Brasil, quando o submarino nazista U-507 iniciou seus crimes bárbaros, torpedeando 6 navios mercantes nacionais indefesos em apenas 5 dias, de 15 a 19 de agosto, ao longo do litoral entre Bahia e Sergipe. Desapareceram no mar 600 patrícios inocentes, passageiros e tripulantes do Baependy, Itagiba, Araraquara, Annibal Benévolo, Arará e da barcaça Jacira.

BaepenndyO Baependy foi torpedeado pelo submarino U-507, comandada por Harro Schacht, ceifando a vida de 270 passageiros e tripulantes

O pânico irrompeu dentre a população, sobretudo os que precisavam viajar. Não havia rodovias, nem ferrovias que interligassem as regiões do País. A aviação comercial civil era incipiente e quase não havia aeroportos.

Assim falou Oswaldo Aranha:

“Alemanha,  bárbaros e desumanos contra a nossa navegação pacífica e costeira, homens, mulheres, crianças e navios do Brasil. Posso assegurar a todos os brasileiros que compelidos pela brutalidade da agressão, oporemos uma reação aos agressores bárbaros, que violentam a civilização e a vida dos povos pacíficos.”

 

Diante do clamor popular nas ruas, o Governo reconhece o estado de beligerância, e em 31 Agosto 1942, através do Decreto Lei 10.358, o Brasil declara o estado de guerra com a Alemanha e Itália, seguindo-se a luta do Brasil como uma das 19 Nações Aliadas. Nossas tropas de terra, mar e ar, de um país pacifico e ainda rural souberam enfentar o nazi-fascismo.

Gloria a FEB, Senta-a-Pua, Força Naval do Nordeste, Grupamento de Patrulha do Sul, Marinha Mercante e Aviação de Patrulha.

Por Israel Blajberg


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

WordPress主题