Governo Japonês eliminará os Estadunidenses e quer paz com o Brasil

Por João Claudio Platenik Pitillo¹

Conjunto de documentos do Itamaraty que demonstram a expectativa do governo japonês em janeiro de 1942 com a posição brasileira de rompimento com o Eixo. Os mesmos mostram que o embaixador japonês no Brasil Itaro Ishii procurou o ministro Oswaldo Aranha para tentar persuadir o presidente Getúlio Vargas a aguardar o desenvolvimento militar que o Japão pretendia fazer na sequencia de Pearl Harbor.

parte1O embaixador Ishii também procurou o ministro Dutra, como mostra a documentação, a fim de tentar junto ao mesmo, que o Brasil mantivesse a sua neutralidade e o bom entendimento com o Japão. Todos os documentos sobre o caso foram remetidos ao presidente Vargas como podemos ver no despacho.

O Brasil já comprometido com a causa Aliada e tendo seus planos próprios para a guerra, não hesitou em romper relação com os países do Eixo ao final da III Conferência de Chanceleres feita no Rio de Janeiro em 1942.

Fonte: CPDOC – FGV  – GVc1942.01.17

¹ Licenciado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2012. Tornou-se Mestre em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2016 e é Doutorando em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) onde concluirá seu curso em 2020. Em toda a sua carreira acadêmica tem como objeto a Segunda Guerra Mundial.

É autor do livro “Aço Vermelho – Os Segredos da Vitória Soviética na Segunda Guerra Mundial”, Multifoco, 2014. Organizador dos livros “A Segunda Guerra Mundial 70 Anos Depois”, Multifoco 2016,Josef Stálin – Sobre a Grande Guerra Patriótica”, Raízes da América 2016, “A Segunda Guerra Mundial e Seus Momentos Decisivos”, Raízes da América, 2017 e “A Grande Guerra Patriótica dos Soviéticos”, Multifoco, 2019.

Ao logo dos últimos 20 anos têm desenvolvido pesquisas sobre a Segunda Guerra Mundial com ênfase na Frente Leste e no Estado Novo dentro do conceito de Primado da Política Interna sobre a Política Externa. No ano de 2015 recebeu a Medalha dos 70 da Vitória”, concedida pelo Consulado Geral da Federação Russa no Rio de Janeiro e no ano de 2019 foi agraciado com a Medalha “Na Luta Contra o Nazi-Fascismo Estivemos Juntos”, concedida pelo Consulado da Federação Russa no Rio de Janeiro e pelo Conselho Superior da União Internacional de Organizações Públicas – Comitê de Veteranos de Guerra.


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

WordPress主题