General Valdir Moreira Sampaio

As informações aqui registradas, foram retiradas diretamente da folha de alterações do meu avô (documento que guardo com muito carinho) e de registros e fotografias pertencentes ao acervo da família e guardados pela minha avó.

Há também um livro, de autoria do Gen. Ruy Leal Campello, que foi subcomandante de Cia do meu avó durante o confronto na Itália, cujo título é “ Um Capitão de Infantaria”, que conta a história daquela 5ª Cia do Regimento Sampaio, comandada pelo então Cap Valdir, durante a 2ª Grande Guerra.

Valdir Moreira Sampaio, nascido em 24/09/1916, entrou para a escola militar de Realengo em 1934, na arma de Infantaria, procedente do Colégio Militar, tendo sido declarado Aspirante,em 1937.

Durante a sua preparação para o Oficialato, há registros de elogios pela atuação do corpo de cadetes por ocasião da revolta do 3º Regimento de Infantaria e Escola de Aviação Militar, ocorrido na madrugada de 27/11/1935.

Como Aspirante, foi classificado no Batalhão Escola – Guarnição da Vila Militar, onde foi promovido aos postos de 2º e 1º Tenente.

Por motivo de sua promoção a 1º Tenente, em 1939, foi transferido para o 8º RI – Guarnição em Cruz Alta, onde permaneceu até 1941, quando foi transferido para o 2º RI – Capital Federal.

Em janeiro de 1944, foi transferido para o Regimento Sampaio – Guarnição Vila Milita, assumindo a 5ª Cia daquele Regimento, onde, neste mesmo mês, foi promovido ao posto de Capitão.

Sobre a sua participação no teatro de operações da Itália, sua folha de alterações tem os seguintes registros:

Rosedir, nome da filha do FEBiano

Em 20/11/1944, embarcou no Porto do Rio de Janeiro, Armazém 11, no navio transporte de tropa americano U.S. General W.A. Mann, com destino ao teatro de operações da Europa, na Guerra contra a Alemanha, fazendo parte das Forças Expedicionárias Brasileiras, chegando ao porto de Nápoles em 06/10/1944, onde, após o desembarque, acampou em Vechie (W. de Pisa).

Participou de estágio na linha de frente no período de 30/10 a 16/11, quando, então regressou ao RI, deslocando-se com o mesmo da região de Tenuda di São Rossore para as imediações de Filetole, de onde deslocou-se com o 2º BTL para a região de Porreta.

É difícil interpretar a folha de alterações, pois constam muitos deslocamentos e batalhas. Posso registrar, em especial, batalhas em Porreta, Crociale – Vivale, Monte Castelo (atacou-o pelo flanco W), LaSerra, Rocca Corneta, Tamburine, Montese, Acerto, Rivalta, Piacenza, dentre outras.

Retornou da Italia no dia 11/08/45, tendo chegado ao porto do RJ em 22 do mesmo mês, no navio transporte americano “Mariposa”.

Piacenza – 21/05/1945

Achei engraçado um registro de desconto em folha, da importância de Cr$350,00, correspondente ao valor de um relógio marca “Waltken” que ele extraviou.

Medalhas foram várias, dentre elas Estrela de Bronze, a Cruz de Combate de 1ª Classe, a Medalha de Guerra, a Medalha de Campanha.

Ao regressar, cursou a Escola de Estado Maior, tendo concluído o curso em 1949 (3 anos de curso 1947/1949 – acho que nos dias atuais, tal cursa dura apenas 1 ano). Estagiou no QG, da 1ª DI em 1950, tendo sido declarado apto para o serviço de Estado Maior e, posteriormente, assumido a Chefia da 4ª Seção, da 1ª DI/QG, onde também atuou nas 1ª, 2ª e 3ª Seções do EM.

Em 05/11/1951, foi promovido a major, por merecimento.

Em 08/07/1952, foi transferido para a Secretaria do Conselho de Segurança Nacional

Em 23/01/1957, foi classificado no QG do II Exército – Guarnição de São Paulo.

Em 08/05/1958, foi promovido a tenente-coronel, por merecimento.

Em 11/12/1959, foi promovido a coronel e transferido para a reserva, e promovido, na inatividade, ao posto de General de Brigada.

A partir da sua reserva, foi trabalhar em São Paulo onde, com seu espírito desbravador, iniciou um empreendimento no atual Município de Iguape, onde iniciou um loteamento, para o qual dedicou o resto de sua vida, tendo levado muitas melhorias para aquele local, onde, inclusive, faleceu, vítima de ataque cardíaco fulminante, em 20/06/1983, aos 66 anos de idade.

Colaborador: Almir Moreira Sampaio Barbosa, neto do General.


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

7 comentários

  1. isalete leal /

    Almir, Parabéns pela homenagem feita a seu avô.
    Um herói de Nossa Pátria.
    Sou filha de Veteranos e me emociono quando leio as homenagens aqui no Portal.

  2. eu tenho 40 anos de idade mas desde minha adolesencia tenho profunda admiração pelos nossos HEROIS. Pois bem no meu bairro tinha um senhor já velho que usava uma boina do exercito e contava Historia da sua participação na 2º guerra eu viajava em pensamento que coragem foram guerreiros e Brasileiros. tive outras opotunidade de conhecer outros pracinhas. parabens por dividir conosco este heroismo

  3. OLÁ TENHO 32 ANOS DE IDADE, SOU UM ENTUSIASTA E COLECIONADOR DE ARTIGOS MILITARES DA 1 E 2 GUERRA MUNDIAL.SOU FAN DESTES HOMEM QUE UM DIA PROTEGERAM NOSSO PAÍS E OUTRO PAÍS DOS FASCISTA E DOS NAZISTA,OLHA A HISTÓRIA DE SEU AVÔ UM PRACINHA VALDIR E MUITO LINDA,O QUE MIM DEIXA CONSTRANGIDO E QUE E UM FATO DA HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA QUE ESTA NO ESQUECIMENTO,QUANDO NA VERDADE TEMOS QUE TER NÓS MANUAIS DIDÁTICOS SER PESQUISADO NAS UNIVERSIDADES E NÃO VER ISTO COMO QUESTÃO DA DIREITA OU DA ESQUERDA,ISTO E A HISTÓRIA DO BRASIL QUE ESTA MORRENDO E VAI ACABAR MORRENDO JUNTO COM OS PRACINHA DA FEB.PARABÉNS MEU AMIGO CONTINUE DIVULGANDO A HISTÓRIA DE SEU AVÔ ESTE GRANDE HERÓI…ABRAÇO

  4. Parabens pela homenagem e com riquesa de detalhes. A luta dos nossos pracinhas,nao pode ser esquecida. Muitos deram suas vidas, para q outros fossem livres do nazi-fascismo. Deus te abençoe.

  5. Mauricio Leite (Mike) /

    Oi Almir.
    Estou pesquisando sobre a minha familia daqui dos Estados Unidos aonde moro ha decadas. Voce sabe me dizer se o seu avo Valdir Moreira Sampaio tinha duas irmas chamadas Aidil e Hialdir? Se a famiia que juntou com os Moreira Sampaio era a familia Freire de Belem do Para? Voce tem algum primo chamado Maurilho que morava em Brasilia nos anos 60?
    Caso positivo teria imenso prazer em conversar com voce.
    Somos primos com certeza.
    Bonita a homenagem que voce prestou ao seu avo.Um ramo de minha familia tambem tinha um primo que chamava-se Germano Seidl e era veterano da segunda guerra mundial.

    suprememike@hotmail.com
    Mauricio Machado Leite

  6. Wilson Carvalho /

    Boa tarde Almir
    Tenho 59 anos e conheci O General Valdir em Ilha Comprida quando ainda possuia 17 anos.Sendo meu pai também Militar e conhecendo também estes “nosso querido amigo da Ilha”, investimos na mesma. Na verdade General Valdir sempre foi homem de excelente coração e desejando meu pai próximo a ele na Ilha Comprida, cedeu 4 terrenos em troca da proposta de utilizar a construção e mão de obra da empreiteira do próprio General.
    Frequentamos a Ilha Comprida em seu primórdio, estradas de barro, duas balsas, gerador e uma natureza exuberante, sempre com a segurança que nosso querido e saudoso General Valdir dedicava a administração do Balneário Ponta da Praia.
    Passávamos todos os finais de semana lá e nas férias certamente o máximo de dias possíveis…e sempre recebendo a visita do General Valdir, que fazia questão de entrar e compartilhar boas conversas conosco. Eu era um adolescente e “viajava” em suas histórias e experiências de vida.
    Sempre os admiramos muito, porém com seu falecimento, meu pai (Lazaro Waldyr Carvalho) desgostou da Ilha Comprida e em suas palavras ditas a minha pessoa declarou “Ilha Comprida sem meu amigo General…nunca será a mesma”.
    Boas recordações tenho em mente, momentos maravilhosos e situações incríveis vividas. Porém mas meu pai adoeceu e veio a falecer e a casa foi vendida.
    Prometi que nunca mais voltaria a Ilha, pois sem o General Valdir…sem meu pai….tudo não mais fazia sentido.
    Mas ficam as boas lembranças deste fabuloso Brasileiro que por nos lutou e doou o melhor de sua vida ao Brasil e para todos aqueles que estavam ao seu redor.
    Obrigado Grande amigo General Valdir Moreira Sampaio…Cada segundo aprendendo com sua palavras, são hoje de grande valia em tudo que realizo como grande patriota brasileiro e grande admirador de “Brasileiros que honram esta maravilhosa Pàtria”…Brasil, sempre!

  7. AlbertoBera /

    Conheci o recreio General Valdir em 1977 quando compramos um terreno dele no Balneário Recreio Ana Cristina na alameda Valdir Moreira Sampaio, 455 onde construímos uma casa, na qual ele e Dona Helena frequentou por muitos anos, como um grande amigo. parabéns pelo trabalho

Deixar um comentário

Weboy