Festival de Cinema de História Militar divulga selecionados para a edição 2019

militum

O Festival acontecerá no Centro de Estudos e Pesquisa de História Militar do Exército (CEPHIMEX), no Rio de Janeiro, de 18 a 20 de setembro.

Em sua terceira edição, no ano de 2019, o MILITUM – Festival de Cinema de História Militar recebeu a inscrição de 27 filmes, sendo 13 documentários, 10 ficções e 4 animações, provenientes de 9 estados do Brasil (DF, GO, MA, PA, PE, PR, RJ, RN e SP), abrangendo as cinco regiões nacionais e mais uma parceria internacional com Uganda, totalizando mais de 15 horas de material audiovisual.

Destacamos que duas obras declararam terem sido produzidas especificamente para participarem do Festival Militum, reforçando nossa proposta de fazer produzir a memória nacional na cinematografia.

Os filmes, produzidos entre 2006 e 2019, trouxeram como tema a Segunda Guerra Mundial e a Força Expedicionária Brasileira, a atuação da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o Colégio Militar do Rio de Janeiro, a história do Tucano T-27 construído pela Embraer e os faróis de navegação históricos operados pela Marinha do Brasil.

De todo esse valioso material, a Comissão Organizadora selecionou 10 obras para serem exibidas ao público durante os três dias do Festival, concorrendo às premiações concedidas pelo Júri Popular e pelo Júri Oficial, que entregará aos melhores filmes das diversas categorias o troféu Apollo.

O Festival Militum foi idealizado e é dirigido pelo cineasta Daniel Mata Roque. O evento é organizado pela Pátria Filmes, em parceria com a Academia de História Militar Terrestre do Brasil – Seção Rio de Janeiro e a Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira – Direção Central. O Festival conta ainda com o apoio da Sociedade Amigos da Marinha – Rio de Janeiro, do Centro de Estudos e Pesquisa de História Militar do Exército/Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil, do Portal Força Expedicionária Brasileira e do CH Grupo.

Confira a lista completa dos 10 filmes selecionados para a III edição do Festival Militum:

Expedicionários – A luta pela liberdade (DOC – BRA – 8′ – 2018), de Frank Ribeiro da Silva

O documentário “Expedicionários: A luta pela liberdade” mostra o início da 2ª Guerra Mundial e a participação do Brasil como tropa aliada.

Faróis do Brasil – Fortaleza de Santa Cruz da Barra (DOC – BRA – 26′ – 2019), de Ingrid Gassert

O Farol da Fortaleza de Santa Cruz da Barra é um dos principais marcos da chegada e saída dos navegantes na Baía de Guanabara, no estado do Rio de Janeiro. Construído no século 19, o farol orienta a navegação em uma das rotas de maior movimentação de barcos do Brasil. E ainda conta com uma vista privilegiada do Rio de Janeiro e seus morros, como o Pão de Açúcar e o Corcovado. Ponto mais alto da Fortaleza de Santa Cruz, o farol fica em Niterói, região metropolitana do Rio, e atrai milhares de turistas.

Faróis do Brasil – Ilha Rasa (DOC – BRA – 26′ – 2019), de Ingrid Gassert

A série de documentários ‘Faróis do Brasil’ desembarcou no Arquipélago das Cagarras, na costa da zona sul do Rio de Janeiro, para conhecer o Farol da Ilha Rasa. Além de belas paisagens, o documentário muita história e conhecimento sobre esse monumento construído no século 19. Desde então, além de importante instrumento de controle da navegação do Rio de Janeiro, o Farol da Ilha Rasa já foi palco de filme de Roberto Carlos e inspirou poetas e músicos como Carlos Drummond de Andrade e Edu Lobo.

FEB – A Guerra dos Pracinhas (ANI – BRA – 7′ – 2018), de Antoine Issa Haswany

Este curta animado conta a história de Betinho, um garoto simples que vive e trabalha na fazenda de sua família no interior do Brasil. Convocado para lutar pelo Brasil durante a Segunda Guerra Mundial, Betinho viaja até o Rio de Janeiro, onde receberá seu treinamento militar para se juntar aos Pracinhas da FEB na Itália.

FEB – A Nossa História (DOC – BRA – 95′ – 2006), de Paulo Berguenmayer

O documentário apresenta as histórias da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial, narradas pelos próprios “Pracinhas”. Foi concebido e desenvolvido em 16 capítulos que relatam, cronologicamente, o Recrutamento, a Preparação no Brasil, a Viagem, o Desembarque, o Treinamento na Itália, o Batismo de Fogo, os Combates em Monte Castelo e Montese, entre outros. O filme ainda conta com um capítulo especial sobre o Amor e a Guerra, evidenciando os “Pracinhas” que se casaram com italianas. Enfim, histórias de heroísmo, coragem e honra, vividas e vencidas por brasileiros na distante Itália.

Heróis do Rio de Janeiro (DOC – BRA – 78′ – 2019), de Mia Carvalho e André Cahn

Filme documentário Heróis do Rio de Janeiro, sobre policiais da PMERJ vitimados em operações. Baseado na pesquisa do Cel PM Fábio Cajueiro, Presidente da Comissão de Vitimização da PMERJ.

Memória de uma Guerra na Itália (FIC – BRA – 26′ – 2017), de Otavio Correa

Em plenos anos da Segunda Guerra Mundial, o Brasil, aliado aos Estados Unidos, enviou para a Campanha da Itália 25.000 soldados. A missão: combater a ameaça nazista e libertar o país da influência fascista de Mussolini. Nesta guerra viveremos a experiência de Cabo Mathias, um homem negro de origem simples em que viu a guerra como a única opção de sair bem de vida. Porém, ao acaso de ser atingido por um morteiro, foi abandonado e jogado à sorte em meio ao campo rodeado por corpos e nazistas. Ele, acompanhado apenas por sua arma, esconde em uma casa localizada perto. Lá conhece uma mulher idosa que, por mais simples que pareça, esconde algo da qual fará o próprio brasileiro se questionar entre escolher o lado humano ou justiceiro.

O fogo do cachimbo (DOC – BRA – 67′ – 2010), de Ruyter Curvello Duarte

O documentário O fogo do cachimbo mostra através do relato de 4 ex-combatentes a emocionante atuação da Força Expedicionária Brasileira durante a II Guerra Mundial.

Tucano 35 (DOC – BRA – 104′ – 2018), de João Paulo Moralez

EMBRAER EMB-312 / Tucano. No dia 29 de setembro de 2018 é a data dos 35 anos de operação de um avião que se tornou um marco na história da Força Aérea Brasileira e de mais 15 nações no mundo que operaram o treinador turboélice avançado da EMBRAER. Em alguns países serviu apenas como treinador, em outros também como plataforma de ataque e até mesmo caça, garantindo a soberania do espaço aéreo. Já no Brasil, além de cumprir todas essas missões, serviu por quase 30 anos na famosa Esquadrilha da Fumaça. O Tucano mudou a forma de treinamento intermediário e avançado no mundo. Quando todos voavam jatos, a EMBRAER apostou num novo modelo de treinamento que seria mais eficaz e com custo muito mais baixo de aquisição e operação. Entretanto, tinha assentos ejetáveis, com instrutor e aluno sentando um na frente do outro ao invés da configuração lado a lado. O aluno completava o curso avançado utilizando 20% a menos das horas de voo se comparado a um jato. Tinha um cockpit semelhante aos dos caças de 3ª geração da sua época, o que facilitava em muito a conversão do piloto militar para a aviação supersônica. Através de simples procedimentos era possível fazer o acionamento do motor. Uma única manete controlava a sua potência. Era um turboélice com alma de jato! Um time de ases como o Coronel Aparecido Camazano Alamino, Ary Guilherme Leber, Celso Luis Cardoso Vilarinho, Ruy Flemming e Ozires Silva estão à bordo! Será um voo emocionante. Embarque nessa com a gente!

V de Vitória (DOC – BRA – 139′ – 2018), de Helton Costa

Entre 1944 e 1945, mais de 25 mil soldados brasileiros partiram para lutar pela Força Expedicionária Brasileira, em solo italiano, contra o nazi-fascismo, na II Guerra Mundial. O documentário traz a história de vida de alguns desses soldados do Paraná e do Mato Grosso do Sul. De forma diferenciada, traz ainda relato de adultos que na época da II Guerra eram crianças e que foram ajudadas pelos brasileiros em momentos de fome e miséria. Trata ainda do pós-guerra e da reintegração social dos ex-combatentes.

COMISSÃO ORGANIZADORA

Daniel Mata Roque, diretor do Festival Militum e da Pátria Filmes

Israel Blajberg, presidente da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – Seção Rio de Janeiro

Breno Amorim, presidente da Associação Nacional dos Veteranos da FEB – Direção Central

JÚRI OFICIAL

Aileda de Mattos Oliveira, doutora em Língua Portuguesa, membro da Academia Brasileira de Defesa e da AHIMTB

Alexandre de Oliveira, professor da UFRJ, doutor em Enfermagem, pesquisador da Segunda Guerra Mundial

Alexandre Naval, professor de Cinema e TV, diretor de “O Peso da Guerra” (Apollo de Melhor Montagem no Festival Militum 2017)

Alfredo Duarte, Vice-Presidente da AECB – Seção Rio de Janeiro, diretor do Núcleo Ibirapuera da Sociedade Veteranos de 32

Carla Daniel, Capitão de Fragata da Marinha do Brasil, Oficial Mantenedora da Paz no Escritório de Assuntos Militares da ONU

Daniele Vieira, jornalista, diretora de “A Casa – Memória dos Expedicionários em Curitiba” (selecionado no Festival Militum 2018)

Elen Vasconcellos, historiadora, Secretária da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil- Seção Valença/RJ

Francisco Gondar, Capitão-de-Longo-Curso da Marinha Mercante Brasileira, diretor da Soamar-Rio

Giovanni Sulla, historiador italiano, pesquisador da Segunda Guerra Mundial e da FEB

Luís Mauro Gomes, Coronel-Aviador R/1 da Força Aérea Brasileira, presidente da Academia Brasileira de Defesa

Luiz Carlos Gomes, historiador, ex-presidente do Instituto Histórico de Petrópolis

Márcio Bergo, General de Brigada R/1 do Exército Brasileiro, presidente do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil

Margarida Bernardes, professora da Escola Superior de Guerra, doutora em Enfermagem, pesquisadora da FEB

Maristela Ferreira, Tenente-Coronel R/1 do Exército Brasileiro, doutora em Letras, especialista em História Militar Brasileira

Sylvio Cocchiarella, Presidente da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil – Seção Rio de Janeiro


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

Premium WordPress Themes