Entrevista com o Roteirista e Idealizador do curta “Porque falei demais”

Portal FEB: Qual é a sua formação acadêmica e principais trabalhos no Cinema e TV?

Resp.: Sou formado em Direito. Ainda no segundo grau – 1998 – escrevi uma matéria para o Jornal da Ilha do Governador, falando sobre o ator insulano Marcello Gonçalves – aproveitando a oportunidade que o jornal dava para moradores escreverem sobre o bairro da zona norte carioca. Lembro-me que meu trabalho foi publicado no dia 5 de abril do respectivo ano, após ter sido aprovado pela colunista do Globo Ilha, Wilma Kroff, na época Editora Chefe do veículo semanal. Após a boa repercussão esta publicação, passei a colaborar com o Ilha Notícias. Somam-se aproximadamente 100 publicações entre texto e fotos, ao longo de cinco anos; aqui começou minha história com a fotografia. Diante da necessidade de documentar meus trabalhos, comecei a fotografar. O Colégio Militar, Brigadeiro Newton Braga, onde eu estudava, se encarregou de me presentear com a minha primeira  câmera fotográfica e a me oferecer apoio através do corpo docente. A partir desse contato com a imagem, cheguei ao cinema; minha formação no audiovisual foi na rua. Em 2008 fiz a fotografia still do curta “Ibiri; tua boca fala por nós” da historiadora Nilma Teixeira, realizado pelo Projeto “Revelando os Brasis”, da Petrobras.

O curta venceu o Festival de Filmes de Pesquisa de Paris em 2008 e 2010, acumulando outras premiações importantes, como a Mensão Honrosa no Festival de Cusco, no Peru.

Em 2010, já pela RedLine Filmes, Dirigi a fotografia de alguns curtas, incluindo o “Doce Paris”, Gravado inteiramente na cidade luz. Atualmente o filme compete em  diversos festivais, nacionais e internacionais.

Em 2010, fui indicado à Academia de Artes, Ciência e Letras de Iguaba Grande – RJ. Fui eleito e ocupo a cadeira patronímica perpétua n 30, que leva meu nome.

Portal FEB – Quais são os principais Diretores que inspiraram seu trabalho durante toda a sua carreira?

Resp.: Sem dúvida o Akira Kurosawa tem uma densidade que me envolve mais, no entanto citar apenas um é ir contra aquilo que o cinema viabiliza de forma única; a diversidade na percepção, e na transmissão de pensamentos e sensações. Cada diretor tem sua retina e as cores e formas não são iguais para todos, por isso é importante saber observar e respeitar a visão de cada um deles, ainda que não seja a linguagem do nosso entendimento.

Portal FEB – Como foi a iniciativa e inspiração para o Projeto “Porque falei demais”?

Resp.: Eu tive a inspiração para desenvolver este projeto durante uma viagem que fiz a Berlim com os Diretores Humberto Rosa e Thairon Mendes, em 2010.  Tive a oportunidade de conhecer pessoas que tiveram o  desprendimento em falar sobre a Segunda Guerra – fiquei encantado. Um breve e acidental contato com seguidores da doutrina nazista também serviu de estímulo para a realização do curta; entendemos que é muito importante reforçar que o Nacional Socialismo deixou na sociedade uma de suas maiores cicatrizes materiais e espirituais. Embora difícil falar sobre o assunto, é essencial combater qualquer intenção de ressurgimento, e para isso é necessário entender  que o nazismo não é uma personagem morta em 1945. Sintetizando, posso dizer que a inspiração é a própria história.

Fotografia PB do militar nazista que inspira a personagem Sebastian e toda a história do curta. Ganhei a original de um casal de senhores em Berlim.

 

Fotografia do Muro de Berlim. Símbolo realizado por um grupo de 6 homens e riscado por por outro grupo que passou logo em seguida. A suástica foi desenhada de madrugada, enquanto eu voltava para o hotel; pela manhã o símbolo já havia sido apagado.

Portal FEB – O curta-metragem tem uma função social? (por exemplo, promover a comunidade judaica)

Resp.: A função social do trabalho prima pela promoção do respeito à pessoa humana, independentemente de raça, cor, credo ou orientações. Ainda que o Holocausto das Balas tenha sido predominantemente voltado à perseguição dos judeus, é importante disseminar o ideal de respeito, não somente à comunidade judaica, mas também a todos os  povos, de leste a oeste, de norte a sul do planeta; sem exceções.

Portal FEB – Como foi o processo de escolha da equipe do curta? Quem são os principais artistas no trabalho?

Resp.: A escolha dos atores foi realizada à medida em que as personagens ganhavam identidade. Não houve um processo de seleção, mas sim o convite aos atores que entendíamos estarem dentro do perfil de cada personagem. Fomos felizes nas escolhas, principalmente pela receptividade de todos eles ao convite.

O elenco é formado por William Vita, Alexandre Beck, Mateus Thiago e Ítalo Villani – além da especial participação do ator Marcos Pasquim, que dá voz à personagem do que chamamos de “essência do sentimento nazista”, em substituição a “Adolf Hitler”.

Portal FEB – Quais são as principais dificuldades? e o financeiro?

Resp.: Com certeza a maior dificuldade quando se fala em curta-metragem é o aspecto financeiro; há pouco interesse particular em incentivar . Acredito que muito desse comportamento  se deve à falta de comercialização deste formato de filme no Brasil. Através de apoios e de uma direcionada ação de captação na iniciativa privada, estamos levantando os principais recursos para a execução do trabalho dentro da máxima qualidade.

Portal FEB – Quem é o público-alvo?

Resp.: Buscamos atingir todos aqueles que gostam do formato curta-metragem. O trabalho tem linguagem universal e busca atingir exatamente a maior quantidade de pessoas  possível.

Portal FEB – Qual é a previsão de lançamento do curta? será vendido nas lojas em DVD?

Resp.: Ainda não há previsão para o lançamento, mas sabemos que será este ano.

Portal FEB – Deixe aqui suas considerações finais.

A RedLine Filmes espera finalizar um trabalho que corresponda à expectativa e agradece a todos os atores que se uniram e abraçaram o projeto, assim como a todos os colaboradores – em especial, ao Portal F.E.B,. pelo carinho que vem dedicando a todos nós.

E-mail do Diretor Allan Vitor de Andrade: alanvitor1@gmail.com


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

2 comentários

  1. Em breve, entrevista com outros membros da equipe

Deixar um comentário

WordPress Themes