CMG José Lisboa Freire e a Força Naval do Nordeste

O Início
Nasceu em1922 no estado da Paraíba e entrou para Escola Naval em janeiro de 1940 tendo saído aspirante em janeiro de 1944 (houve compressão de um ano no curso em virtude da guerra). Ficou apenas dez dias embarcado no NE Almt. Saldanha  aguardando a chegada Corveta Cananéia. Tendo passado todo o seu período de guerra nela embarcado.
CMG Freire iniciou sua carreira como qualquer militar sonha: combatendo. Combatendo numa marinha onde os meios faltavam, mas a coragem sobrava.  Costuma comentar que alguns navios não valiam que se gastasse um torpedo (alguns tão castigados que houve caso de que quando docados após a guerra romperam o fundo ao serem apoiados nos picadeiros), mas isso nunca impediu que quando solicitados estivessem prontos para engajar o inimigo. Mas não era o caso das Corvetas Classe Carioca, relativamente modernas (Cananéia originalmente Navio Mineiro incorporado em 1939), que junto com novos equipamentos adquiridos com a política do Land and Lease formaram a espinha dorsal da modernização  ocorrida no decorrer do conflito.

O Teatro de Operações
A Corveta Cananéia (Classe Carioca – C2) fazia parte da Força Naval do Nordeste (FNNe) que atuou ativamente das operações de guerra comboiando navios mercantes que transportavam em seus porões as cargas vitais para o sucesso do esforço de guerra aliado.
A FNNe estava como toda a Marinha brasileira subordinada a quarta esquadra americana atuando em conjunto com a FAB e a USAF na feroz guerra anti-submarino que se desenvolveu no  Atlântico Sul. A FNN era responsável pelos comboios que chegavam e partiam do Rio de Janeiro em direção ao norte. Seu comandante era o Almt. Soares Dutra.

A Atuação
O desempenho de nossa marinha na segunda guerra não deve ser medida no numero de submarinos do eixo afundados, mas na quantidade de navios aliados que não o foram. Essa era a verdadeira função da escolta; afastar o inimigo. Um inimigo sorrateiro que exige atenção constante e reação imediata. Isso não foi alcançado sem que um preço fosse pago: 467 vidas entre comandantes, oficiais, suboficiais, sargentos e praças.
Os contatos com o inimigo eram constantes, sempre dando início as rotinas de postos de combate e contramedidas.  As tripulações recebiam treinamento constante dados pelos norte-americanos se familiarizando com as novas táticas da guerra anti-submarina e com a operação dos modernos equipamentos recebidos.

Parafraseando o Cmte. Gerson de Macedo Soares:
Durante as travessias realizadas pelos comboios, inúmeras vezes tiveram os nossos navios-escolta que fazer ataques, com bombas de profundidade, a submarinos pressentidos pelos aparelhos de escuta; embora não haja dessas ações resultados como prova palpável, irretorquível de sua veracidade, muitos de nossos navios, como o “Caravelas”, o “Cananéia”, o “Carioca” e outros, contam no seu ativo ataques ao inimigo caracteristicamente certos e considerados incontestáveis pelos seus tripulantes.”

Os números falam por si:
N° de Comboios realizados pela FNN: 251 (70 em águas estrangeiras )
N° de Comboios realizados exclusivamente pela FNN (sem apoio de unidades americanas): 195
Tonelagem bruta de navios comboiados: 14.175.970
N° de navios escoltados: 2981 (1396 nacionais, 1051 americanos e 253 ingleses)

Levando-se em conta o numero de unidades disponíveis e o de navios comboiados, a Força Naval Brasileira, teve sob sua responsabilidade um numero quatro vezes superior do que as unidades americanas.
São inúmeros os trabalhos acadêmicos em que a atuação da Marinha Brasileira é analisada e sempre recebendo boas avaliações quanto ao seu desempenho tendo em vista os meios que dispunha.

Condecorações
José Lisboa Freire foi agraciado com medalha SERVIÇOS DE GUERRA com duas estrelas de prata por “valiosos serviços de guerra” (decreto-lei N° 6.095 de 13 de dezembro de 1945) bem como com Medalha da Força Naval do Nordeste concedida pela marinha a todos que dela tomaram parte.

Hoje em Dia
Após 35 anos de serviços o CMG José Lisboa Freire pediu passagem para reserva. Foi governador do Território Federal do Amapá, além exercer de diversos cargos de liderança na iniciativa privada.
Casado a 61 anos, tem cinco filhos e quatro netos. Atualmente reside no bairro de Botafogo na cidade do Rio de Janeiro.

Palavras Finais

Palavras proferidas pelo Almirante Jonas Ingram, Comandante da Quarta Esquadra Americana:
“As operações de que se encarregaram os bravos marujos brasileiros foram de suma importância, e os esforços despendidos foram tremendos. Tive de perto a oportunidade de apreciar a capacidade e a bravura dos marujos do Brasil. É preciso que o povo brasileiro tenha conhecimento do que foi a tarefa desses intrépidos soldados do mar”.

Bibliografia
Cmte. Celso de Mello Franco – Homenagem à Força Naval do Nordeste – Revista do Clube Naval N° 340
Vice-Almirante (Ref) Francisco Aripena Leão Feitosa – A Força Naval do Nordeste – Revista do Clube Naval N° 344
Cmte. Gerson de Macedo Soares – A Marinha do Brasil na Segunda Guerra Mundial – http:adluna.sites.uol.com.br

Colaborador: Francisco Freire – fjffreire@yahoo.com.br


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

6 comentários

  1. É preciso que o povo brasileiro tenha conhecimento do que foi a tarefa desses intrépidos soldados do mar”.

    É essa obrigação e dever para com aqueles que serviram à pátria em tempos tão difíceis, que baseamos nosso trabalho. contar a história com o máximo de detalhes e deixar um legado para os mais jovens sobre a imperiosa necessidade de unfatizarmos a defesa de nosso amado Brasil.
    http://www.sixtant.net

  2. PROCURO AJUDA DE ALGUEM QUE CONHEÇA O REGISTRO DOS SOLDADOS QUE PARTICIPOR E FOI MORTO NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL TEM UM IRMAO DO SOLDADO GUMERCINDO DA SILVA PASSA POR NESSCIDADE ELE TEM QUE APRESENTA ESTE DOCUMENTO AO JUIZ POR CONTA DE UM INVENTARIO DA FAMILIA SI ALGUEM PODER AJUDAR FIKAMOS MUITO AGRADECIDO O SOLDADO ER GUMERCINDO DA SILVA FILHO DE MARIA JOSE DE JESUS E EUSTAQUIO NUNES DA SILVA O IRMAO QUE PRESIZA DO DOCUMENTO EO SENHOR JOAODA CRUZ SILVA O FONE DE CONTATO EH 29659779 E 25287742 FALAR COM FILOMENA SILVEIRA GUIMARAES MUITO GRATO

  3. Prezados Amigos,
    Informamos que no dia 22/04/2012 faleceu o Sr. José Lisboa Freire.
    Prestamos aqui nossa homenagem e respeito, orgulhosos de termos conhecido e compartilhado a história de vida desse grande homem. Muito Obrigado.

  4. Paulo Paiva /

    Cmt Freire

    Bravo Zulu, velha-guarda! Ao Brasil, tudo!

  5. Carlos Alberto de Souza Nobre /

    Tive a oportunidade e o prazer de ter servido com o Almirante Aripena, CMG Jose Lisboa Freire, Comandante na época,CF, Fernando Paulo Nunes Batista (CIAW) 64/65, e alguns mais excelentes oficiais de marinha na minha época, tive a grata satisfação de poder um dia ter estado ao lado daqueles oficiais acima mencionados, foi uma grande experiência para mim, fui sempre bem tratado e respeitado por todos. CMG Jose Lisboa Freire (Falecido) e todos os outros, não sei se ainda são vivos, gostaria muito de poder fazer contato com os outros embora não sabendo se ainda estão vivos. Se alguém souber de seus paradeiros e se disponham a cooperar com a minha pretensão, acima vai o meu endereço para contato via NET. Meu telefone para contato é:48-3355-0074,residencial.

Deixar um comentário

WordPress Themes