Cap Virginia Portocarrero sobre Mascarenhas de Moraes

Fragmentos de um Diário
Cap Virginia Portocarrero
Relembrando a figura do Marechal Mascarenhas de Moraes, desejo render-lhe minha homenagem retirando dois trechos do meu Diário de Guerra, e que, no meu entender, dizem muito da maneira como um grande Chefe tratava seus subordinados.
O primeiro trecho, do dia 18 de julho de 1944, relembra uma apresentação ao Marechal, logo após a chegada do 1º Escalão da FEB a Nápoles.
“No segundo dia após a chegada do 1º Escalão, logo ao amanhecer, fomos informados de que iriamos nos apresentar ao General Mascarenhas, no acampamento de Bagnoli.
Juntamente com nosso Chefe, Major Ernestino Gomes de Oliveira, na hora determinada, partimos para o acampamento.
O General nos recebeu com muito carinho.
A oficialidade presente encheu-nos de perguntas sobre o Brasil, o que nos fez ficar à vontade e, de certa maneira, sentimo-nos importantes, como portadores de notícias recentes, pois tinhamos vindo de avião e o serviço de Correio ainda não estava funcionando.
O General fez-nos muita festa. Sem nenhum formalismo e na sua maneira simples de ser, dirigiu-se a nós: ‘- como as minhas Tenentes estão se sentindo com as estrelas do novo posto?’
A seguir, recordou suas palavras, quando ainda no Quartel General da rua São Francisco Xavier, ao reunir sua turma: ‘Naquele dia,eu, ao abraçar uma por uma das minhas comandadas, fiz questão de afirmar que vocês, no Teatro de Operações, teriam no velho Mascarenhas um pai e não um Comandante. Vejam em mim o pai que vocês deixaram no Brasil. Em todas as necessidades que surgirem, venham diretamente a mim. Estarei sempre vigilante para ampará-las e orientá-las como velho conselheiro e amigo’.
Depois, franzindo a testa, disse-nos:
‘- Vocês aqui, tem duas missões. A primeira é tratar com desvelo e carinho dos seus doentes e feridos. A segunda é representar condignamente a mulher brasileira’.
E completou:
‘- Não esmoreçam, cumpram com o  dever e contem com o velho amigo’.”
O segundo trecho é datado de 25 de fevereiro de 1945, portanto poucos dias depois do ataque e conquista de Monte Castelo, e mostra a preocupação do grande Comandante para com os combatentes feridos em ação, indo visitá-los nos seus leitos de dor.
“Hoje o General Mascarenhas veio fazer uma visita ao nosso hospital, o 16th Evacuation Hospital, na cidade de Pistóia.
Com a simplicidade de sempre, pediu que ao entrar na enfermaria para a sua visita, não fosse dada a costumeira ordem de ‘Enfermaria, atenção!’
Entrou assim, com absoluta simplicidade e visitou os leitos onde seus comandados estavam.
Quando um dos feridos fazia menção de levantar-se, ele apressadamente, com um aceno, mandava que ficasse à vontade. E dizia: ‘- Agora não sou o General Mascarenhas a quem vocês devem respeito através da continência ou do perfilar-se. Sou o amigo que vem visitá-los e agradecer-lhes a bravura com que se portaram diante do inimigo’.
Em cada leito parava, interessado e perguntava detalhes sobre o que acontecera a cada um.”
O Diário nesse dia, prolonga-se um pouco mais, e encerra-se com umas poucas palavras que no meu entusiasmo de então, tomam hoje, expressão ainda maior:
“Que carisma possui o General. Como todos o admiram e o estimam.

Fonte: “ALBUM BIOGRAFICO DAS FEBIANAS” – Enfermeira Altamira Pereira Valadares.

Colaboradora: Maria do Socorro Sampaio M. de Barros. Filha da Cap Enf. da FEB ARACY ARNAUD SAMPAIO.

É Psicóloga, membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – DF ( AHIMTB ), Coordenadora de Ação Social UNIPAZ-DF, membro da Ordem Franciscana Secular ( OFS ).

COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

4 comentários

  1. Bela matéria, Socorro.
    Conversei com a jovem Cap. Virgínia (96a) há três semanas. Continua esbanjando vitalidade e amor aos pracinhas. Com a humildade dos autênticos heróis diz: “Não me considero uma heroína; apenas tive a honra de cuidar de verdadeiros heróis”.

  2. Maria do Socorro Sampaio M. de Barros /

    Sim, ela representa a essência da mulher brasileira que tanto admiramos. O mais importante de tudo é que continua nos presenteando com sua bela vida, humor e “pérolas” de sabedoria.

  3. fabio heleno /

    Gostaria de saber como faço para entrar em contato com a Cap Virgínia, sou acadêmico de enfermagem e sou militar do exército.
    Na minha sala de graduação gostariamos conversar com alguma enfermeira da FEB para saber como era o atendimento de enfermagem na 2ª Guerra Mundial.
    Grato.

  4. Maria do Socorro Sampaio M. de Barros /

    Fabio,entre em contato pelo meu e-mail socorrosmbarros@yahoo.com.br.

Deixar um comentário

WordPress主题