Sargento Manoel Aires de Oliveira

7ª Região Militar – 14º Regimento de Infantaria – III Batalhão – Cia Militar de Engenharia – III

Relação das alterações ocorridas com o cabo abaixo designado, durante o tempo em que serviu nesta unidade.

Graduação: Cabo;
Corpo a que pertence: 4240;
Nome: Manoel Aires de Oliveira;
Alterações
Em 1943:
MAIO: A 25, de acordo com os avisos ministeriais nºs. 1660 e 1661, de 26/06/1942 e 1770, de 26/07/1942, foi incluído no estado efetivo desta Cia, como reservista convocado de 2ª categoria.
É filho de João Sebastião de Oliveira e de Da. Aurora Maria Aires, nascido em 18/11/1916, natural do município de Taperoá – Paraíba, comerciário, sem aptidões especiais, solteiro, com 1,70 m de altura, com branca, cabelos castanhos claros, olhos castanhos claros, nariz reto, boca regular, rosto oval, barba e bigode raspados, sabendo ler, escrever, e contar, não sabe nadar e sem sinais particulares.
Tomou o nº 4240.
JUNHO: Sem alteração.
JULHO: A 10 foi publico ter sido matriculado no C.C.C.
AGOSTO: A 31, foi desligado do C.C.C., por não ter passado no exame de suficiência.
SETEMBRO: Sem alteração.
OUTUBRO: Sem alteração.
NOVEMBRO: A 03, deslocou-se, a pé, às 5 horas, da cidade de Olinda, onde se achava acantonado, com destino ao Engenho Aldeia, atingindo às 17:30 hs, o Km 24 da Estrada de Ferro da Cia. Tecidos Paulista, onde bivacou. A 04, reiniciou a marcha, tendo chagado às 20:30 hs, ao Engenho Aldeia, acampando.
DEZEMBRO: A 10 foi matriculado no C.C.C. por ter sido aprovado no exame de seleção.
Em 1944:
JANEIRO: Sem alteração.
FEVEREIRO: Sem alteração.
MARÇO: A 09, o Sr. Emanuel Oliveira Afonso de Miranda, ao deixar o Comando da Cia. Elogiou-o nos seguintes termos: “ O soldado nº 4240 – MANOEL AIRES DE OLIVEIRA, pela ótima conduta, dedicação ao trabalho, cumprindo sempre com boa vontade e perfeição todas as ordens recebidas, tornou-se digno da estima de seu Comandante de Cia.” (Individual). A 23, de acordo com a data de exame do C.C.C., foi aprovado com grau 6,13.
ABRIL: A 25, de acordo com o resultado provisório da Inspeção de saúde, publicado no Adt. Ao Bol. Regional nº 87 de 14 do corrente, foi julgado “apto” para o serviço do Exército e classificado na categoria “E”, dependendo de “ABREUGRAFIA”. A 26 passou a fazer parte do Contigente de Socorro. A 29, foi transferido para o destacamento, em Olinda.
MAIO: Sem alteração.
JUNHO: A 05, de acordo com o nº 14, item III, do Bol. Regional nº 120, de 29 do mês p. findo, foi promovido ao posto de cabo. A 20, de acordo com o ofício Reservado nº 52-A, de 06/07/1944 do E.M. da 7ª D.I.E., foi mandado servir no Depósito da F.E.B., seguindo destino a 21.
Acantonamento em Olinda, 20 de junho de 1944.
Moacir Maria Monteiro de Andrade(assinatura no documento escaneado)
Cap. Cmt. Da Cia
EM TEMPO: declaro que a praça acima deixou de seguir destino a 21, em virtude de ordem superior.
JULHO: a 1º de julho de 1944 seguiu destino.
Acantonamento em Olinda, 1º de julho de 1944.
Moacir Maria Monteiro de Andrade(assinatura no documento escaneado.)OBSERVAÇÕES de Carmem Lúcia de Oliveira Lima (Filha)
Na 1ª convocação Manoel Aires de Oliveira, foi considerado incapaz por ter o pé chato, mas, inconformado, se apresentou como voluntário e comprovou estar apto percorrendo a distância, a pé, entre Olinda e o Engenho Aldeia.Foto tirada na Itália, sem dados da fonte. Restaurada por Carmem Lima (filha).
REGIMENTO SAMPAIO
OBS.: Relato transcrito em conformidade ao manuscrito copiado do Regimento Sampaio, com as letras nem sempre legíveis.
Alterações ocorridas com o militar abaixo designado

Graduação: Cabo a 3º Sargento
Corpo a que pertence: 4514
Nome: Manoel Aires de Oliveira
Folha 01.
Em 1944:
JULHO: A 14 foi incluído no estado efetivo do R.J., I Batalhão e 2ª Cia, tomando o nº 4514, vindo com procedência do 1º Escalão do Deposito do Pessoal da F.E.B.
AGOSTO: A 11, foi publico haver sido arquivado na S.G.M.G a sua declaração de herdeiros sob nº 12.199.
SETEMBRO: A 20, embarcou, com o R.I. no Porto do Rio de Janeiro, Armazem nº 11, no navio de transporte de tropas pertencente a Marinha de Guerra dos EE.UU. “U.S.General W.A. Mann”, com destino ao teatro de operações da Europa, na guerra contra a Alemanha afim de fazer parte na guerra contra aquele país.
OUTUBRO: A 06, a bordo do U.S.General W. A. Mann” chegou à 08 horas, com o R.I., ao porto de Napólis, continuando, porém de ordem superior, embarcado durante a permanência no referido porto. A 16, foi publico haver chagado, no dia 12 do corrente, às 16 horas, ao acampamento na Região de Vechie (W. de Pisa). A partida de Napolis deu-se às 16 horas do dia 09 do corrente, em barcos transportes do tipo L.C.I. pertencentes a Marinha de Guerra dos EE.UU.
NOVEMBRO: A 15, foi publico haver se deslocado com o R.I. no dia 13 do corrente, da Região de Tenuta di S.Rossone para as imediações de Filetole, onde acampou. A 22, foi publico haver se deslocado com o Batalhão, no dia 21 do corrente da Região de Filetole para a de Poreta, na Itália.
DEZEMBRO: A 18, foi publico ter: tomado parte, a 29 do mês findo, no ataque ao Morro Castelo (Monte Castello), como elemento a disposição da 1ª D.I.E., passando a 06, a disposição do Cmt. Do 6º R.I., para ser empregado no sub-setor Norte (Linha Torre de Nerone – Região 681 – Africo – Região S.E. de Recea Potigliana); permanecido nas posições ocupadas de 06 a 15; sido substituído no sub-setor Norte na noite de 15 para 16, tudo do corrente; e se reagrupando em Sila, onde acantonou, já recuperado pelo Regimento.
Em 1945
JANEIRO: A 15, foi elogiado, individualmente pelo Cmt. do I Btl., pela coragem, perfeita noção do cumprimento do dever, permanecendo em sua função de comandante da retaguarda, assegurando a retirada da patrulha até seu último elemento e recolhendo todo o armamento deixado pelos feridos, a despeito do forte tiroteio inimigo, quando fazia parte de uma patrulha de reconhecimentos nas linhas de combate do inimigo, situados no ponto cotado 832, onde deveria tomar contacto com o adversário. A 22, foi publico ter: começado a entrada em linha, a 21/12/1944, com o Q.S. no sub-setor centro, compreendido pelo corte do Marano (Rocca Pitigliana inclusive) até Case Guanela inclusive; substituindo, a 22/12; com o I Btl. O elemento do Esquadrão de Reconhecimento, na frente Po-destino di Sotto-Columbu – Morro Del Oro; se mantido com o Btl., de 22/12/1944 a 18/03/1945, na defensiva agressiva. As operações se limitaram ao envio de patrulha de segurança e de reconhecimento, que balisaram a linha ocupada pelo inimigo, ao N. do rio Marano. Durante esse tempo o Btl. Sofreu bombardeios diários da Artilharia e Morteiros inimigo.
FEVEREIRO: Sem alteração.
MARÇO: A 12, foi publico ter: continuado na defensiva, com o I Btl., de 19/01 a 09/02, na região de M. Dell’Oro até o rio Marano; o contato é mantido e feito intenso lançamento de patrulha de segurança e reconhecimento; sido substituído, de 08 a 09/02, pelo II 11º R.I., acantonado em Silla; passado a constituir reserva da D.I.E., de 10 a 16/02; substituído com o Btl., a 17/02, os elementos do 1º 11º R.I. ao N. de Gaggio Montano, preparando-se para ataque ao Monte Castelo; se mantido, em posição, de 17 a 20/02; ocupado, à tarde, de 20/02 a base de partida para o ataque; atacado, com o Btl., a 21/02 pelo flanco W. do Monte Castelo, passado a organização do terreno e ajustagem de fogos, sendo mantido a posição conquistada; mantido o M. Castelo, com o Btl., a 24/02; acantonando de 25/02, em Porreta e Crocialo; passado, com o Btl., a 26/02, a disposição da 1ª D.Mt. U.S.A., entrando em linha a W. do M. Belvedere até Rocca Corneta, onde substituiu a III-85ª Reg. U.S.A. onde permanece. A 16, de acordo com as quotas de promoções atribuídas ao Regimento pelo Boletim Interno, nº 72, de 13 do corrente, da 1ª D.I.E., foi promovido a gratificação de 3º Sargento. Ainda em Fevereiro: A 26, foi contemplado com o elogio nº 1.
ABRIL: A 02, foi contemplado com o elogio nº3. A 13, foi publico ter: passado, a 1/03, com o R.I., a fazer parte do Grupamento a Oeste, sob o Comando do Gen. Zenóbio; executado de 05 a 10/03, na frente das posições, a construção de rede de arame e campos de minas anti-tanque e anti-pessoal permanecido em posição, com a Cia, desde 01 a 19/03; sido substituído, com a Cia, a 20/03, e acantonado em Querciola; entrado em linha; com a Cia, a __/03, ocupando a região Rocca Corneta, onde permanece.
MAIO: A 07, fez jus as operações realizadas nº 5.
Folha 02.
JUNHO: A 23, fez jus as operações realizadas nº 08. A 27, fez jus ao alogios n/] 5 e 6. Ainda a 27, fez jus AL lançamento nº 11, Membro Honorario do IV Corpo (?). A 30, fez jus: as operações realizadas nº 13 e 14; ao elogio individual nº 7 e a citação da Unidade nº 8.
JULHO: A 5, foi aprovado pelo Cmt. do Q.I., o elogio, individual, formulado pelo 1º Tenente José Maclmca (Macemca?), respondendo pelo Comando da 2ª Cia, nos seguintes termos: “3º Sargento Manoel Aires de Oliveira, a circunstancia de ter sido promovido à graduação atual, por notáveis atos de bravura, dispensa outros elogios. Entretanto, cumpro um dever de justiça acrescentando que o Sargento Aires conduziu admiravelmente o seu G.C. durante a guerra, e após esta se tem revelado impecável no controle dos seus soldados. Possue um acentuado espírito de lealdade e disciplina. A 06, foi aprovado pelo Cmt. do R.I. com elogio individual, formulado pelo 1º Tem. José Machuca respondendo pelo comando da 2ª Cia nos seguintes termos: “O 3º Sargento 4514, Manoel Aires de Oliveira, Cmt de G.C. pela maneira brilhante e eficiente com que impucionou seu G.C. na ofensiva final, sempre demonstrou coragem e sangue frio, cumprindo a risca todas as missões recebidas em cujo desempenho se revelou sobejamento capaz de comandar um G.C. na guerra. Cumpre-me ainda registrar que após atingido o Monte Righette, objetivo do Pelotão, o Comandante do mesmo resolveu ir até o ponto cota 865 e casa de Naudi, tendo este sargento se apresentado voluntariamente para avançar.
Continua…
Folha 03.
Continua…
JULHO: A patrulha era constituída pelo oficial e sargentos do pelotão a qual recebeu tiros de metralhadoras inimigas quando ultrapassava a Casa de Naudi, tendo o inimigo se retirado após os disparos.
AGOSTO: A 27, foi publico, ter partido a 11, com o Regimento, a bordo do transporte americano “Mariposa”, digo do Porto de Napolis (Itália), tendo chegado ao porto do Rio de Janeiro no dia 22 do fluente. Na mesma data desembarcou, desfilando pela vida (Verdade?) e regressou ao seu Quartel, na Vila Militar.
SETEMBRO: A 13, foi publico que de acordo com as instruções aprovadas pela Portaria nº 8458, de 07 de junho do corrente ano, foi licenciado do serviço do Exército e em consequência foi excluído do estado efetivo do R.I., I Btl. e 2ª Cia; ficando considerado reservista de 1ª categoria. Tendo declarado ir residir em Recife, Estado de Pernambuco. Recebeu o Certificado especial nº 8070. Na mesma data foi publico haver recebido Medalha de Campanha. 3ª Sgt. De fileira, filho de João Sebastião de Oliveira, da classe de 1916, natural de Taperoá, estado da Paraíba, identificado sob RG. 298.047.

OBSERVAÇÕES de Carmem Lúcia de Oliveira Lima (Filha)
Manoel Aires de Oliveira, 3ª Sargento, identidade nº 1G-298.047, foi agraciado com as seguintes Medalhas:
• Medalha de Campanha e respectivo Diploma, por decreto de 28/02/1946, publicado no Diário Oficial de 01/04/1946. Assinado pelo Ten. Cel. Aurino de Araujo Pereira, chefe da 2ª Seção da DCP
• Medalha de Guerra e respectivo Diploma, por decreto de 06 de março de 1947, publicado no Diário Oficial de 22/03/1947. Assinado pelo Ten. Cel. Aurino de Araujo Pereira, chefe da 2ª Seção da DCP
• Medalha Cruz de Combate de 2ª Classe e respectivo Diploma, por decreto de 06/09/1952, publicado no Diário Oficial de 15/09/1952. Assinado pelo Ten. Cel. Aurino de Araujo Pereira, chefe da 2ª Seção da DCP


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

3 comentários

  1. Mario Viana da Silva Botelho. /

    Quando temos um objetivo e determinação nada impede de conseguir o ideal de um sonho, o brasileiro Manuel Aires de Oliveira, em 25 de maio de 1943 incorporar no E.B. E mesmo sem apresentar características elevadas chega a galeria dos Heróis, ainda recusado por ter os pés chato consegue provar que é capaz de ser militar e foi ainda mais longe, onde poucos Brasileiros com corpo perfeito e elevada cultura jamais conseguiria chegar ao titulo de Heróis da FEB. Ao nobre companheiro meus reconhecimentos pelo seu valor moral e pátrio.
    Forte abraço.
    Botelho. 2º Sgt Inf T

  2. Itamar Souto /

    Todos os remanescentes destes valorosos soldados que participaram da FEB, deveria começar a pesquisar e colocar em alguma rede social. Todos precisam de saber que esta guerra existiu e milhões de homens e mulheres perderam a vida dedicando-se a este conflito para alcançar os dias bons que hoje usufruímos.
    Hoje sequer se é obrigado a servir ao nosso glorioso EB porque a paz foi conseguida com bravura e determinação neste grande conflito.

  3. Ginaldo Gomes da Silva /

    Moramos em Pilôes-PB e através do meu pai (José Gomes da Silva), conheci o Senhor Manuel Aires. Mesmo criança não esqueci de sua fisionomia e por meio do Livro Sangue, Amor e Neve”, que meu pai falava muito, descobri uma menção de atos de bravura deste grande brasileiro que defendeu a democracia na 2ª Guerra Mundial. Buscando na Internet localizei tudo a seu respeito e fiquei feliz em ver as informações e fotos sua e da família.
    Minhas homenagens.

Deixar um comentário

Premium WordPress Themes