Alunos do Ensino Médio visitam o Museu do Expedicionário.

Alunos da 2ª série do Ensino Médio visitam o Museu do Expedicionário.

O tema Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945) fascina os alunos. Visitar um museu também é uma forma de instigar os adolescentes. Agora, unir as duas coisas e, além disso, conhecer a história do Brasil no conflito que alterou completamente o contexto mundial do século XX, narrada por um ex-combatente paranaense, foi INESQUECÍVEL!
Os alunos da 2ª série do Ensino Médio do Bom Jesus Centro tiveram a oportunidade de viver essa experiência. O trabalho começou em sala de aula com a confecção de um folder criado a partir de um guia elaborado pelos acadêmicos de História, sob orientação do professor Dennison de Oliveira, do Departamento de História da UFPR.
No dia da visita, os universitários apresentaram aos nossos alunos todo o acervo do museu, único desse porte e com essa temática no Brasil.
O general Ítalo Conti, bisavô de um de nossos alunos, enriqueceu a visita com seus relatos do dia a dia dos combatentes brasileiros na Itália contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Com seu jeito tranquilo e muito sábio, ensinou aos alunos que em uma guerra há muito sofrimento para todos. Além disso, exaltou a coragem dos mais de 25000 soldados brasileiros da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que atenderam ao chamado para defender a pátria. Foi um feito honroso, que deve ter a memória preservada.



Colaborador: Dennison de Oliveira / Bom Jesus


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

2 comentários

  1. a historia da f.e.b deveria de ser materia obrigatoria nas escolas talvez assim os estudantes conhecam o amargo preco da liberdade e parem para contar ate 10 antes de fazer algum crime que ponha em risco sua liberdade.a f.e.b lutou e venceu pela liberdade do brasil e do mundo e tambem pela liberdade de cada cidadao brasileiro viva a marinha viva a f.e.b

  2. isalete leal /

    Parabéns ao Dennison de Oliveira pelo maravilhoso trabalho. Parabéns ao general Ítalo Conti, bisavô de um dos alunos, dando sua contribuição com seu relato.

Deixar um comentário

Weboy