A Campanha de Nacionalização Alcança o Esporte

Por João Claudio Platenik Pitillo¹

Desde que a Segunda Guerra Mundial se intensificou com a invasão da Polônia pelas forças nazistas em 1 de setembro de 1939, que o governo brasileiro redobrara a sua vigilância aos agentes do Eixo. Essa desconfiança já fazia parte do aparato de segurança do Estado Novo desde o Levante Integralista de 11 de maio de 1938, onde o governo brasileiro descobriu provas do envolvimento direto do Eixo Berlim-Tóquio-Roma no referido evento.

A simpatia de muitos militares, funcionários públicos e de figuras ilustres da sociedade brasileira com o fascismo, causavam grande preocupação em Getúlio Vargas e seu núcleo dirigente. Com o avanço da guerra e o interesse do Eixo no Norte da África, o governo brasileiro passou a temer uma ação da “quinta-coluna” ou até mesmo, um ataque direto ao seu território feito à Região Nordeste ou na Região Sul, via Argentina.

esport club germania

Os documentos em questão mostram a vigilância que a Polícia Civil do Distrito Federal mantinha aos súditos do Eixo e a todas as suas atividades. Podemos notar no relatório policial de fevereiro de 1940 a classificação da autoridade policial de que as reuniões nazistas “conspiravam” contra o governo brasileiro. A vigilância em questão refere-se ao “Esporte Club Germânia”, localizado na Zona Sul carioca.

Clube Germania

Apesar de o documento referir-se ao clube da Zona Sul carioca como “Esporte Club Germânia”, o seu nome correto era “Germânia Football Club”, essa confusão acontecia por causa do atual “Esporte Clube Pinheiros”, que na época se chamava “Esporte Club Germânia”, localizado na cidade de São Paulo. O clube carioca possuía uma equipe que disputou a segunda divisão do futebol no Rio de Janeiro do início do século XX até o início da década de 40, quando fora extinto. Com o desenrolar do conflito e a entrada do Brasil na guerra depois dos ataques aos navios brasileiros, toda e qualquer referência às países do Eixo foi proibida, levando a nacionalização e encampação de muitos desses clubes.

Fonte: APERJ. – Fundo: Pol/Pol, Setor: Alemão, Notação: 11, Dossiê: 16.

germaniaVeja também: Tradições alemãs e jogo de cintura brasileiro; conheça o Sport Club Germânia

¹ Licenciado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2012. Tornou-se Mestre em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2016 e é Doutorando em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) onde concluirá seu curso em 2020. Em toda a sua carreira acadêmica tem como objeto a Segunda Guerra Mundial.

É autor do livro “Aço Vermelho – Os Segredos da Vitória Soviética na Segunda Guerra Mundial”, Multifoco, 2014. Organizador dos livros “A Segunda Guerra Mundial 70 Anos Depois”, Multifoco 2016,Josef Stálin – Sobre a Grande Guerra Patriótica”, Raízes da América 2016, “A Segunda Guerra Mundial e Seus Momentos Decisivos”, Raízes da América, 2017 e “A Grande Guerra Patriótica dos Soviéticos”, Multifoco, 2019.

Ao logo dos últimos 20 anos têm desenvolvido pesquisas sobre a Segunda Guerra Mundial com ênfase na Frente Leste e no Estado Novo dentro do conceito de Primado da Política Interna sobre a Política Externa. No ano de 2015 recebeu a Medalha dos 70 da Vitória”, concedida pelo Consulado Geral da Federação Russa no Rio de Janeiro e no ano de 2019 foi agraciado com a Medalha “Na Luta Contra o Nazi-Fascismo Estivemos Juntos”, concedida pelo Consulado da Federação Russa no Rio de Janeiro e pelo Conselho Superior da União Internacional de Organizações Públicas – Comitê de Veteranos de Guerra.


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

Deixar um comentário

Premium WordPress Themes