1º Tenente Milton Vieira Galvão R/1 – Músico do Serviço Especial

30/11/1916, Piquete/SP – 16/07/2007, Lorena/SP

Relato parcialmente transcrito em conformidade ao manuscrito copiado de uma relação de alterações passada pela 1ᵃ Cia, do 5ͦ  R.I consta o seguinte:

Em 1934

Março: – A 1º, de acordo com o Artº 40 do R.S.M., foi incluído no estado efetivo do Regimento, e 1º Btl, e no desta Cia. Como voluntário tornando o nº 1989, por ter sido julgado apto para o serviço do Exército, na inspeção de saúde a que foi submetido na E.R.. É filho de João Galvão de França Rangel e de D. Maria Olimpia Vieira Galvão.

Agosto: – A 13, passou aprendiz de músico por ter sido julgado apto, no exame a que foi submetido.

Dezembro: -A 14, foi público o seguinte: Foi elevado a músico de 2ᵃ classe, conforme exame, a que foi submetido e em consequência seja transferido para, a Cia. Extra, pelo que foi excluído do estado efetivo do 1ͦ Btl. E desta Cia. Quartel em Lorena, 16 de Dezembro de 1934 (a) Joaquim Alves de Oliveira. Cap. Comandante.

[…]

Em 1944

Janeiro: -A 26, foi submetido ao exame de músico de 1ᵃ classe sendo aprovado com grau 7,300.

Maio: -A 18, foi transferido para a banda de música da 1ᵃ D.I.E, sendo em consequência excluído do estado efetivo do Btl. e deste Pelotão. Quartel em São Cristovão, na capital federal (na época, cidade do RJ), em 24 de Maio de 1944. Pedro Luiz Pinto Bitencourt, capitão ajudante. Na Cia do Q.G. da 1ᵃ D.I.E da F.E.B.

Junho: -A 6, foi público ter sido elevado a músico de 1ᵃ classe a 5 do corrente, de acordo de acordo com o resultado de exame e instruções sobre banda de música e fanfarra.

Outubro: -A 17, foi público ter embarcado no porto do Rio de Janeiro a 19 do mês próximo findo e a 22 as 12h e 45min deixou aquele porto a bordo de um navio transporte Norte Americano com destino a além mar, tendo chegado a Napoles (Itália) as 9h do dia 6 do corrente, permanecendo embarcado até a tarde do dia 9 quando foi transferido para uma barcaça de invasão, tipo L.C.T. e, as 14h do dia 11, aportou à Livorno onde desembarcou na manhã do dia 12, sendo transportado em caminhão para a área de estacionamento ao Norte de Pisa.

Dezembro: -A 13, foi publico ter se deslocado a 14 do mês findo, do acampamento em Pisa para a cidade de Pistoia.

Em 1945

Março:-A 30, foi publico ter se deslocado a 12 do corrente, da cidade de Pistoia para a localidade de Pavana.

O veterano é terceiro da esquerda para direita, dos que estão de pé com instrumento musical na mão, ou seja, da fileira do meio.

Junho: -A 10, foi publico ter feito os seguintes deslocamentos: -A 24-4-945, de Pavana para Vignola. A 30-4-45, de Vignola para Parma e a 5-5-45, de Parma para Alessandria.

-A 20, foi publico ter se deslocado, a 11 do corrente, de Alessandria para Francolise, onde chegou as 15h do dia 13.

 

Outubro: -A 9, foi publico ter embarcado a 28 de Agosto no transporte militar Duque de Caxias, desembarcando em Lisboa, a 3 de Setembro. Onde embarcou a 4-10, chegando ao porto do RJ a 17, tudo do mesmo mês.

Novembro: -A 1ͦ, foi mandado incorporar ao 1ͦ R.I., de acordo com aviso nº 2897, de cujo efetivo passou a pertencer (Do D.O., de 25-X-945). Em consequencia foi desligado de adido desta Cia.

-A 9, foi publico ter recebido a medalha de campanha, criada pelo Decreto Lei nº 6795, de 17-9-944. Rio de Janeiro, 6 de Dezembro de 1945, Lourenço de Souza Alencar, 1ͦ tem. Cmt Regimento Sampaio – Cia. de Serviços.

-A 17, foi incluído no estado efetivo do R.I. e Cia. de Serviços, em vista da extinção da banda da D.I.E.

Dezembro: -A 17, foi contemplado com elogio publicado no Bol. Reg. nº 202, de 17-XII-945.

Em 1946

Janeiro:-A5, de acordo com o Art. 1ͦ do Decreto Lei nͦ 8442, de 26 de Dezembro próximo findo, foi promovido 1ͦ Sgt. Músico.

Fevereiro:-A 4, foi publico ter sido transferido por necessidade do serviço do Regimento Sampaio para o 6ͦ R.I., na mesma data entrou em transito.

Agosto: -A 2, tendo o 1ͦ Sgt. Milton Vieira Galvão contribuído para a oferta do emblema de ouro aos seus colegas da 10ᵃ Divisão de Montanha, por intermédio do Exmo. Sr. Gal. G. H. Gerhardt, presidente da Comissão Militar Mista Brasil-Estados Unidos, louvo-o pelo gesto simpático e digno que teve para com os seus camaradas do exército Norte-americano, concorrendo destarte para unir, ainda mais, os laços de amizade entre Brasil e os E. Unidos  da América do Norte. (Individual).

-A 24, foi deferido seu requerimento pedindo licença para contrair matrimonio.

Novembro:-A 21, apresentou sua certidão de casamento passada pelo Município “D” e Comarca de Lorena- E.S.Paulo, pelo qual se verifica ser casado com Dᵃ Eunice Bastos, que passou assinar Eunice Bastos Galvão.

Em 1947

Abril: -A 15, de S.Paulo n ͦ 198 a do 12 pt. Chefe E.M.E. vg. em radio 30-a de 10 do corrente vg. esclarece que passa a adido ao Regimento e nesta Cia. a Banda de Música Cel. Peri, chefe do E.M.E.

-A 29, em consulta feita pelo Sr. Cmt. do R.I., o Exmo. Sr. Chefe do E.M.E em resposta esclarece que fica adido a Cia. de Serviços para fins de disciplina e administrativos.

Maio: -A 20, a banda de música do 6ͦ R.I.é da categoria “e”. (Transc. Do B.I. nº107, de 14-5-947 da 2ᵃ R.M.)

Em 1948

Fevereiro:-A 16, foi louvado pelo Cmt. do R.I., como auxiliar dedicado, possuidor de perfeita compreensão do dever, disciplinado e leal ao trabalho, o que muito contribui para que não houvesse anomalias, tanto no serviço normal, como na vigilância deste Quartel, por ocasião das Manobras.(Individual).

Março:-A 30, pelo B.I. nͦ 74, foi louvado pelo Sr. Cmt. do R.I., nos seguintes termos: “1ͦ Sgt. Mus. Milton Vieira Galvão, pelo acentuado esforço que o destaca como músico altamente dedicado à arte a que se dedica.(Individual).

Maio:-A 14, passou de adido a efetivo, tomando o número que tinha anteriormente (73)

Agosto:-A 9, foi elogiado pelo Sr. Cap. Leopoldo Freire dos Santos, Cmt. desta Cia., nos seguintes termos: Louvo o 1ͦ Sgt. n ͦ 73, Milton Vieira Galvão, cuja disciplina, cooperação e sentimento de responsabilidade e amor à arte musical, concorrem decisivamente para que a Banda de Música do Regimento Ipiranga goze de distinta consideração entre a população local e de acentuado prestígio entre os conhecedores da arte, elevando-o no conceito dos chefes. (Individual).

Em 1949

Março:-A 4, foi elogiado pelo Sr. Cmt. do R.I. com autorização do S.Exa. Sr. Gal. Renato Paquet, Cmt. da 2ᵃ R.M. nos seguintes termos: Louvo o 1ͦSgt. Mús. Milton Vieira Galvão, pelo desempenho de suas funções permitindo que o R.I. desse a melhor das impressões a S. Exa. Sr. Gal. Renato Paquet, Cmt. da 2ᵃ R.M, não só nas suas visitas a este corpo mas também na parada de 7 de Setembro de 1948 (Individual).

-A 10, foi louvado pelo Sr. 2ͦ  ten. Jacob Chapier Sobelman, Cmt. da Cia. de Serviços nos seguintes termos: Pelo muito que fez para esta Cia. cooperasse eficazmente na instrução do ano de 1948 (Coletivo).

Maio:- A14, foi louvado pelo Sr. Cel. Aurélio Alves de Souza Ferreira, Cmt. do R.I., por ocasião das solenidades da comemoração do 4ͦ aniversário da rendição do inimigo na campanha da Itália; pela atuação de cada um na preocupação de concorrer para o êxito obtido no conjunto (Coletivo).

-A 21, foi louvado pelo Sr. Cap. Cmt. da Cia. de Serviços nos seguintes termos: Louvo o 1ͦ Sgt. Mús. Milton Vieira Galvão, pelo interesse e a dedicação demonstrada durante o lapso de tempo entre o ano findo e o novo ano de instrução, em atender as providências necessárias aos reclamos da instrução e da vida administrativa da Cia. de Serviços. (Individual).

Junho: -A 21, foi público ser descontado de seus vencimentos a importância de Cr$ 10,00, em benefício dos Ex-Combatentes do Brasil (Secção de Caçapava).

Em 1951

Fevereiro: -A 27, em Ofício S/N de 12-II-951, do Sr. Presidente do Gremio Recreativo 27 de Outubro, de Araraquara, foi publico ter sido louvado pelo referido presidente nos seguintes termos: -“Os componentes da Orquestra se conduziram com admiração; foram alvos dos maiores elogios, tanto em disciplina como em competência, enfim, ficamos plenamente satisfeitos com a apresentação dos mesmos nesta cidade.”

Abril: -A 28, foi mandado descontar dos seus vencimentos a quantia de Cr$ 10,00 mensalmente, a partir de Maio do corrente ano, em favor da Ass. Beneficente dos Músicos Militares do Brasil.

Junho: -A 25, foi elogiado nos seguintes termos: “1ͦ Sgt. Milton Vieira Galvão, pela maneira eficiente e leal como colaborou com este Cmdo., no preparo e execução das festas de aniversário do R.I., contribuindo eficazmente no melhoramento das instalações do Quartel. (Individual).

Em 1952

Agosto: -A 29, foi elogiado pelo 1ͦ Ten. João Fonseca de Souza Leal, Chefe do Serviço Especial do R.I., nos seguintes termos: “Tendo em vista os estimulantes cumprimentos apresentados por motivo da boa impressão causada pelo Show do Soldado, organizado pelo Serviço Especial, cabe-me cumprindo um dever de Justiça, ressaltar os esforços despendidos pelo 1ͦ Sgt. Mús. Milton Vieira Galvão, ao qual elogio individualmente e transmito os cumprimentos recebidos, agradecendo publicamente pela colaboração honesta que dispensou  ao Show do Soldado, em comemoração ao Dia do Soldado.”

Em 1953

Junho: -A 19, foi público que deverá se apresentar dia 22 do corrente, as 15h30, no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, conforme solicitação feita pelo Dr. Cory Gomes de Amorim, administrador Judicial Interino do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, em ofício nº 35, de 16 corrente, afim de ser submetido a um exame de classificação da Matéria de Teoria e Solfeja. A 30, com Ofício nº 40, de 24 do corrente, do Secretário Interino do Conservatório Dramático e Musical de S.P., recebeu-se sua certidão de classificação de Teoria e Solfejo, na qual consta ter sido aprovado com média 8,5, no exame realizado naquele estabelecimento.

Dezembro: -A 9, foi público o seguinte: Seja averbado nos assentamentos do 1ͦ Sgt. Músico Milton Vieira Galvão (2G-62.530), adido a esta unidade (6 ͦ R.I.), o período de 22 de Setembro de 1944 a 4 de Setembro de 1945, 11 meses e 13 dias, período em que o mesmo tomou parte no I.O. da Itália (transc. do Bol. D.G.P nº 269, de 25 de Novembro de 1953.)(transc. do Bol. Int. nº 64, de 1º do corrente, da 2º D.I.), de acordo com o art. 94, do Decreto Lei nº 3.940, de 16/12/1941, e Parecer 268-T, do Exmo. Sr. Consultor.

A pesquisadora Maria Elisa Pereira aborda um pouco sobre a origem da Canção do Expedicionário e a atuação da banda de Jazz da FEB. Clique AQUI para ler a Tese de Doutorado “…O Brasil dos cantos de guerra (1942-1945)…”.

Colaboradora: Cyntia Salles


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

6 comentários

  1. Cyntia Galvão Salles /

    Toda família agradece o artigo do Vô Milton. Além de manter viva a história dos pracinhas, do nosso país, acalenta o nosso coração com a falta que ele nos faz!

  2. Meu querido avô, um exemplo de amor e união que deixou na terra para toda a família!!Muitas saudades, que esteja olhando por todos nós la de cima onde ele com certeza brilha,como uma estrela…

  3. cel BASTOS /

    Foi a pessoa mais maravilhosa que conheci

  4. Guelzita Galvao Salles /

    Meu pai,um homem cumpridor de seus deveres, junto a Pátria,comunidade e família. Quem tiver mais informações sobre ele,na guerra,ou fotos, fazer favor de postar.Desde já, meus agradecimentos.
    Agradeço ao Portal da FEB,por relembrar e perpetuar a historia desses heróis. Enfim, meu pai, juntamente com outros expedicionários, serão conhecidos por todos!

  5. isalete leal /

    Com mais esse trabalho podemos reverenciar nossos heróis que participaram do grande conflito. Parabéns pelo trabalho realizado e postagem no portal.

  6. tenho muita vontade de escutar as historias desses herois…abraços.

Deixar um comentário

Premium WordPress Themes