Antônio Marraschi – Herói de São Gonçalo

marraschi3Antônio Marraschi, pracinha da FEB, nasceu em São Gonçalo em 31/01/1922 e faleceu em Niterói a 28/12/1999. Era do 3o. RI em São Gonçalo (Extinto 2o. BI), convocado para Itália , chegando ao teatro de operações no segundo escalão. Participou das Batalhas de Monte Castelo, CaltelNuovo, Montese e outras. Era primo do herói Gonçalense Ciber Mendonça. Dentre muitas estórias contadas e vividas pelos pracinhas, relato aqui o salvamento de seu colega Maurício, que no pós guerra tornaram-se compadres pois Maurício deu uma filha para Antônio Marraschi batizar. A estória começa quando Antônio Marraschi retornando a seu posto na linha brasileira,após travar combate com os tedescos, deu falta de seu amigo Maurício, e retornou até o local de batalha encontrando Maurício dentro de sua trincheira ferido gravemente por artilharia inimiga. Carregou Maurício nas costas até a linha Brasileira, onde já tinham os responsáveis levado os feridos e retornado cumprindo a missão do dia,daí havendo recusa de levar Maurício ao Hospital de Campanha, Antônio sacou arma e colocou na cabeça do responsável pelo transporte e disse : Ou leva um ou levaremos dois feridos. Este relato demonstra a personalidade forte de Antônio Marraschi, um herói da FEB que nunca, assim como os outros pracinhas Brasileiros serão esquecidos por lutarem pela Liberdade derramando seu próprio sangue em terras distantes.

Antônio Marraschi, como muitos pracinhas da época era neto de Imigrantes Italianos, brasileiros que retornavam a terra de seus antepassados para libertá-la do domínio Nazi-facista de Hitler e Mussolini.
A Correspondência era difícil, censurada e com grave risco de não chegar, mas mesmo assim , não deixava de mandar notícias através de “O Globo Expedicionário” e de recebê-las também como na foto acima , e quando podia mandava um postal.

Retornando com os pracinhas Brasileiros, foram recebidos com festa pela população de São Gonçalo. Acolhido novamente ao seio familiar, casou-se com sua noiva que o esperara – Hilma, e juntos fundaram o Externato Hilmar, mistura de Hilma e Marraschi, um colégio tradicional da cidade que hoje é administrado por filhos do casal. Presidiu a Associação de Febianos de Niterói, em um período. Amanhã tem mais!


“Por mais terras que eu percorra , não permita Deus que eu morra , sem que volte para lá, sem que leve por divisa este “V” que simboliza a vitória que virá!”

Trecho da Canção do Expedicionário de Spartaco Rossi e Guilherme de Almeida

Foto : Acervo da Família Marraschi.

Colaborador: Sandro Marraschi.


COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook Twitter Email Plusone



VEJA ALGUNS ARTIGOS QUE POSSAM LHE INTERESSAR!

5 comentários

  1. ranulfo neto /

    servi o exercito em 1968 no 1BI do 1RI regimento sampaio servi na segunda cia de fuzileiros a o predio da minha cia chamava-se pavilhão sargento ciber porto mendonça

  2. Tatiana Marraschi /

    Meu avô, cresci ouvindo muitas dessas histórias da guerra =D

  3. Rafaela Marraschi /

    meu falecido tio!!!!

  4. Sandra Mara Marraschi /

    Meu primo, grande herói!

  5. Sandra Mara Marraschi /

    Meu primo, grande herói!!!

Deixar um comentário

Weboy